O canoísta português, Fernando Pimenta, sagrou-se campeão da Europa em K1 1000, ao bater o dinamarquês Rene Poulsen e o húngaro Balint Kopas. O atleta, natural de Ponte de Lima, conseguiu, assim, conquistar um título inédito para Portugal a escassos dois meses dos Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro. Agora, o canoísta luso volta a ter uma nova oportunidade ao competir neste domingo, 26 de Junho, em K4 1000, juntamente com Emanuel Silva, João Ribeiro e David Fernandes.

No final da prova que lhe deu o título de Campeão da Europa, Fernando Pimenta disse à agência Lusa de que estava a sentir “uma sensação incrível”, recordando que já tinha conquistado igual título em juniores, sub-23 e em seniores, em K4 1000 com os seus companheiros Emanuel Silva, João Ribeiro e David Fernandes.

Publicidade
Publicidade

Desde então que não tem deixado os pódios longe da vista em K1, apesar de só agora ter conseguido subir ao topo. Fernando Pimenta é também vice-campeão olímpico em K2 1000, com Emanuel Silva, um título conquistado em 2012 nas provas de Londres.

O atleta revela que não fez “nenhuma preparação específica” para estes Europeus, realizados em Moscovo (Rússia), até porque o seu grande objectivo está nos Jogos Olímpicos de Rio de Janeiro. Fernando Pimenta refere que tem “um mês de trabalho para continuar a melhorar” e considera que “todos os dias é uma nova batalha”. Contudo, reconhece que os seus principais adversários vão ter os olhos postos em cima de si, mas acredita que poderá obter bons resultados. Para isso, espera contar com o apoio de todos os portugueses, apelando para que estejam “com a #Canoagem e com a equipa olímpica no Rio2016”, bem como para protagonizarem uma onda de apoio com a colocação de bandeiras portugueses “nas varandas, janelas e carros”.

Publicidade

Por sua vez, o treinador do canoísta, Hélio Lucas, afirma que o seu pupilo “já fez história”, uma vez que será o atleta português com mais medalhas conquistas em provas da Europa e do Mundo. Por outro lado, revela que Fernando Pimenta, aos 26 anos, “tem muito tempo para ser único em Portugal”. “Ainda tem dez anos pela frente para chegar ao patamar mais alto”, realça Hélio Lucas, recordando que em Maio, na Taça do Mundo em Duisburgo, conquistou a medalha de ouro em K1 5000. Para já, o treinador considera que o canoísta luso “já é caso único” na canoagem portuguesa, não existindo muito iguais a ele no país. #Jogos Europeus