Nos últimos anos e até os dias de hoje as sociedades foram alvo de uma evolução drástica e muito rápida. Este facto embora positivo em muitos aspectos, provocou e continua a provocar grandes problemas a nível mundial, todos os sectores foram afectados, criando assim uma desigualdade social.

É interessante falar em desigualdade, pois a luta contra a desigualdade foi um dos factores que tiveram influência no agravamento da crise.

De um modo geral posso dizer que o simples facto de o sector feminino, ao longo dos anos ter-se tornado uma fonte de rendimento, começando cada vez mais a trabalhar, foi em muito positivo para as famílias e para a sociedade.

Publicidade
Publicidade

Digo claramente que foi muito positivo e continua a ser, mas não podemos ignorar o lado negativo.

Uma das causas da crise é o desemprego, será que o desemprego aumentou, assim tanto? Ou hoje em dia temos outro método de cálculo, que não tínhamos há 40 ou 50 anos. Há 50 anos, o sector feminino era maioritariamente doméstico, não era contabilizado para a desemprego; hoje quando falamos de desemprego, referimo-nos a todos os desempregados, mulheres e homens.

Os agregados familiares começaram a ter mais fontes de rendimento, o que não significou mais riqueza, mas sim mais facilidade de adquirir crédito, o que levou a uma corrida aos créditos, aumentando assim as dívidas pessoais.

Os governos não foram capazes de prever situações deste tipo, o sistema bancário viu uma oportunidade de negócio e cada vez mais facilitou o acesso ao crédito, o que levou ao início de uma era de crise que atravessamos actualmente.

Publicidade

É certo que estamos hoje em dia muito melhor servidos e com muito melhor condições de vida, atravessamos uma era de muita riqueza e muito trabalho, onde tudo era relativamente fácil, mas num período de 50 anos atingimos um pico e começamos novamente a regredir, passamos do 8 para o 80, de viver do trabalho árduo do dia-a-dia, de trabalhar de sol-a-sol, para um período de facilitismo onde com menos esforço tudo era nos dado. Hoje dia já sentimos o peso da factura, oriunda de um período de descontrolo, resta-nos pensar.

Que futuro nos espera? Como vai ser o amanhã?

Escolhemos o caminho certo disso não há dúvidas, mas faltou o controlo, a disciplina, o rigor, no meio do caminho os valores mudaram e com ele o mundo. #Negócios