O ex-presidente do BPP, João Rendeiro, recebeu da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a notificação de pagamento de uma multa no valor de cerca de um milhão de euros. Segundo a edição de ontem do jornal Expresso, a entidade reguladora confirmou as acusações de que o antigo banqueiro e os ex-administradores do Banco Privado Português foram alvo. Contas feitas, as multas atingem um valor global que ultrapassa os 2,6 milhões de euros. Um valor record para este tipo de casos.

Assim sendo, por ordem de valores, os administradores receberam as seguintes coimas: Paulo Guichard foi multado em 700 mil euros; Salvador Fezas Vital em 500 mil; Paulo Lopes em 400 mil, Fernando Lima em 200 mil; e ainda Vítor Castanheira, que ficou de pagar 100 mil euros, nos quais 35 mil ficam suspensos por dois anos.

Publicidade
Publicidade

De referir também que todos estes administradores ficam proibidos de exercer, durante cinco anos, qualquer tipo de actividade financeira. Vítor Castanheira, levou a pena mais leve, e fica só inibido por um período de dois anos.

O próprio BPP também foi "apanhado" com uma multa de 1,5 milhões de euros se bem que o pagamento esteja em "stand by" dado o que o banco encontra-se em procedimentos para a sua extinção. A reacção de João Rendeiro não se fez esperar, tendo afirmado ao mesmo jornal em que saiu esta notícia que "todo este processo vai acabar em breve".

"Temos todos que perceber uma coisa: eu não estou preocupado porque esta acusação é algo que está a ser feito para melhor a imagem da CMVM em todo este processo e também noutros. Não tenho dúvidas que vai tudo prescrever em pouco tempo", afirmou o ex-banqueiro.

Publicidade

Por fim, é de referir que o líder da comissão de valores portuguesa, Luís Máximo dos Santos, disse que tudo acaba bem quando tem que acabar bem. Em relação ao próprio BPP, acredita que este vai acabar para sempre. "A multa aplicada ao BPP nunca irá ser paga dado que nem nos próximos dois anos nem em tempo algum este banco fará ou cometerá qualquer infracção", justificou.

Em suma, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) multou todos os antigos administradores do Banco Privado português (BPP) em mais de 2,6 milhões de euros, embora seja o antigo homem forte do banco, João Rendeiro, que tem em mãos a multa mais alta, cifrada no valor de 1 milhão de euros.