O relatório divulgado pela Oxfam mostra que as diferenças entre ricos e pobres continuam a aumentar. A principal conclusão mostra que, em 2016, quase metade da riqueza existente em todo o mundo vai pertencer a 1% da população. O trabalho realizado pela organização humanitária britânica vai ser o ponto de partida para a discussão no Fórum Económico Mundial. Este vai realizar-se entre quarta e sábado em Davos, Suíça.

Os dados têm em conta a lista dos mais ricos do mundo da revista Forbes. Em 2014, o primeiro lugar foi ocupado por Bill Gates, fundador da Microsoft, seguido de Warren Buffett, investidor e atual diretor da Berkshire Hathaway.

Publicidade
Publicidade

A terceira posição pertence ao mexicano Carlos Slim, que fez fortuna a partir das telecomunicações. Para além deste ranking o relatório intitulado de "Wealth: Having It All and Wanting More" tem também em conta um trabalho realizado pelo banco de investimento Credit Suisse.

Os valores da Oxfam mostram que os 1% mais ricos aumentaram a riqueza entre 2009 e 2014 em quatro pontos percentuais, ou seja de 44 para 48%. Em 2016 o valor deve chegar aos 49,27% e em 2020 deve ultrapassar a barreira dos 50%. Os números revelados no site oficial da organização mostram que no ano passado, cada pessoa que pertence a este grupo tinha uma fortuna avaliada em 2,33 milhões de euros. Em Davos, o objetivo da Oxfam é alertar para o facto de "mais de mil milhões de pessoas ainda viverem com pouco mais de um euro por dia (...) Queremos mesmo viver num mundo onde 1% da população tem mais do que todo o resto? A escala da desigualdade mundial é assombrosa" revela Winnie Byanyima, director-executivo da Oxfam, que vai estar no Fórum Económico Mundial.

Publicidade

Segundo as conclusões do documento, grande parte dos mais ricos do mundo não fez nada para o ser, visto ter herdado a fortuna. A Oxfam revela que "mais de um terço dos 1645 bilionários listados pela Forbes herda toda ou uma parte da sua fortuna". O acentuar desta desigualdade está, segundo a organização, a colocar um travão na luta contra a pobreza. A Oxfam tem ficado conhecida por mostrar às claras e com números reais o aumento das diferenças entre ricos e pobres.

Portugal representado em Davos

O Fórum Económico Mundial vai juntar na Suíça mais de 80 chefes de Estado e Governo de todo o mundo. Em representação de Portugal vai estar o ministro da Economia, António Pires de Lima, que vai aproveitar o evento para atrair investidores para o país. Em declarações ao Diário Económico, o ministro revelou que "vou estar em Davos, no Fórum Económico Mundial, em contacto directo com várias empresas de todo o mundo, mas também com grandes empresas suíças com forte tradição na área de investigação e desenvolvimento, onde nos interessa fazer um esforço especial". A saúde, as questões financeiras, a sustentabilidade ambiental e o desenvolvimento da economia são as principais questões em debate e análise no encontro.