O Programa de Estágios Profissionais na Administração Local (PEPAL) já está em andamento. O programa visa integrar jovens desempregados em entidades locais (Câmaras Municipais, Juntas de Freguesia, empresas municipais e Comunidades Intermunicipais…) para reforçar a sua formação profissional, aumentando assim as hipóteses de virem a ser contratados no futuro. Nesta edição, a iniciativa implicará um investimento de 14,5 milhões de euros e empregará 1500 jovens. O arranque das candidaturas está previsto para esta semana, logo após a publicação do despacho da distribuição dos estágios em Diário da República.

14 526 000 euros é quanto vai custar manter 1500 jovens ao serviço das nossas entidades locais. Este valor é calculado com base no valor das bolsas e dos subsídios pagos aos estagiários.

Publicidade
Publicidade

No entanto, o montante pode vir a descer, uma vez que nem todos os estágios são completados. A tendência é para que a duração média dos estágios feitos ao abrigo deste programa seja de 11,5 meses, o que poderá fixar os custos com bolsas e subsídios nos 13,9 milhões. A União Europeia contribuirá com 92% deste valor, ficando os restantes 8% a cargo das entidades responsáveis pela contratação.

São elegíveis para estes estágios jovens até aos 29 anos (35, caso se trate de um indivíduo portador de deficiência), à procura do primeiro emprego ou desempregados e que possuam pelo menos uma habilitação correspondente ao nível 6, ou seja, uma licenciatura. Caso as funções a desempenhar não sejam as de técnico superior, poderão ser abrangidos jovens com um nível de qualificação inferior ao 6. Os jovens seleccionados terão direito a uma bolsa mensal no valor de 691,70 euros, subsídio de alimentação e seguro de acidentes pessoais.

Apesar de serem apenas 1500 os estágios que o Governo tem para oferecer, foram apresentados 2640 pedidos, repartidos por 469 entidades municipais. No final, e como estava previsto, apenas 1500 foram atendidos.

Publicidade

Nesta selecção foram privilegiados os pedidos feitos por entidades ligadas à "promoção do desenvolvimento e da competitividade económica local, energia e ciência" e à "intervenção no domínio social, designadamente, educação, saúde, acção social e cultura". A Câmara Municipal de Braga foi a que teve maior número de estágios atribuídos. A lista final com a distribuição dos estágios deve ser publicada esta semana em Diário da República ditando o arranque das candidaturas. Os concursos poderão depois ser consultados na Bolsa de Emprego Público. #Desemprego