De acordo com a análise realizada pela Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), a dívida pública em 2014 poderá ficar acima da previsão dada pelo governo português. A referida unidade é constituída por técnicos economistas da Assembleia da República, que seguem todos os passos das receitas e despesas de todo o sector público. Na análise feita a todo o ano de 2014, os economistas referem que a dívida pública portuguesa pode ficar bem perto dos 129% do PIB. O valor mais alto de sempre. Ou seja, a dívida aumentou mais do que 5 mil milhões de euros face a 2013.

Na habitual nota mensal sobre dívida pública, os mesmos técnicos informam que o rácio estimado para a dívida poderá estar entre os 128% e os 129% do PIB.

Publicidade
Publicidade

"Caso se confirme esta estimativa, a dívida pública portuguesa ultrapassa a previsão oficial dada pelo Governo", pode ler-se na nota divulgada aos deputados da Comissão parlamentar de Orçamento e das Finanças. Na origem desta diferença de resultados entre a análise feita pelos técnicos da UTAO e as previsões do Governo está o fraco crescimento económico e a não utilização dos depósitos para amortizar a dívida. Estas duas premissas levaram a uma execução cambial adversa. Ou seja, quando a dívida pública é comprada por alguém a título individual ou colectivo, o comprador não irá receber o valor real da dívida a ser vendida, porque o Euro, ao ser trocado por outra moeda, desvaloriza. Algo que não é de todo apetecível para um país tão necessitado de dinheiro, como é o caso de Portugal.

Ainda na passada sexta-feira, o Instituto Nacional de Estatística (INE) anunciou também que o crescimento real da economia lusa em 2014 ficou-se pelos 0,9%, ao contrário da previsão feita pelo executivo de Pedro Passos Coelho, que previa um crescimento na ordem de 1%.

Publicidade

Mais uma vez, resultados e previsões contraditórias. A confirmarem-se estas projecções, divulgadas tanto pela UTAO como pela Comissão Europeia, que se cifram em 128,8% do PIB, a dívida terá aumentado em 2014. A dívida pública poderá estar bem perto dos 208 mil milhões de euros, ou seja, mais 5 mil milhões de euros do que foi registado em 2013.

É de lembrar que o Governo calculava que a dívida pública ficasse pelos 127% do PIB em 2014, uma estimativa que indicava que o ano que findou iria iniciar a queda da dívida, mas parece que tal não se está a confirmar.