Um dos sinais mais evidentes de que Cuba tem vindo a mudar nos últimos dois anos são os chamados negócios por conta própria, nomeadamente os de pequena dimensão e de índole privada, como restaurantes, lojas de roupa, cafés e cabeleireiros. Tendo em conta que os mesmos permitem uma melhor qualidade de vida, por se auferirem rendimentos mais elevados comparativamente com os montantes recebidos do Estado Cubano, estes negócios já ocupam cerca de 400 mil cidadãos.

Para ilustrar a situação, pode-se referir que um médico estatal tem um salário significativamente inferior comparativamente com os cidadãos que abrem um negócio.

Publicidade
Publicidade

Para além do referido, há também incentivos ao investimento externo, sendo que estes são uma prioridade para este ano. Cuba pretende fazer crescer o PIB em 4% e, neste sentido, o regime de Raul Castro criou situações de incentivo fiscal evidente, em particular à volta do Porto de Mariel, uma zona de desenvolvimento especial criada por Cuba, e que, claramente, está a atrair investimento externo, incluindo também investimento português.

Os opositores ao regime, que lutam contra o comunismo em Cuba, referem que se por um lado há abertura económica, por outro tem aumentado a repressão política, afirmando que no passado fim de semana foram detidas dezenas de pessoas por razões de consciência em vários pontos da ilha. Contudo, a maioria dos cubanos apenas tem acesso a informação dos media, sendo que as vozes dissonantes ficam guardadas para edições online que não chegam aos ouvidos da maioria, uma vez que, no país, a internet custa cerca de 10 dólares por hora e o salário médio é de 20 dólares por mês.

Publicidade

Desta forma, a internet é uma fortuna que não é acessível ao comum cidadão cubano.

Ao longo dos tempos, a realidade de Cuba vai-se alterando. Atualmente, há já uma perceção diferente sobre o que está a acontecer no país, contudo, espera-se que a abertura económica continue e que seja gradual. Por agora, espera-se que a evolução política dite algumas regras daquilo que será a situação económica.