A revista Forbes, famosa pelas suas listas anuais de milionários, surgiu, na passada segunda-feira, com um novo recorde máximo: 290 novos bilionários. O notável deste novo número é dar-se num período de divulgada recessão económica e constante crescimento do preço das energias, principalmente do petróleo. A revista detectou que os novos bilionários estão na China, que sobe para o segundo lugar mundial, enquanto a maior perda é da Rússia, que passou para quinto lugar. A Forbes dá índices de uma economia reconhecidamente polarizada, característica da globalização: um aumento do fosso entre os muito ricos e a maioria da população. Há também cada vez mais juventude no ranking dos mais ricos do mundo.

Publicidade
Publicidade

Segundo dados publicados pela revista, as fortunas aumentaram de 6.400 biliões, em 2014, para um somatório actual de mais de 7 triliões de dólares. A Forbes menciona que os chineses são o grupo mais representado - o que confirma o grande boom económico que estava previsto acontecer em 2014 na China e que será contínuo pelo menos até 2030 (segundo previsões do «DCDC-Global Strategic Trends 2006-2036).

Segundo a Forbes, das 290 novas fortunas mencionadas, 71 estão na China. Sabe-se ainda que 46 destes novos ricos ainda não chegaram aos 40 anos. São ao todo 1.826 bilionários em todo o planeta, segundo a revista económica. Este mesmo estudo refere que a polarização económica é cada vez mais acentuada porque não há memoria de se criarem tantos bilionários num só ano, enquanto a massiva maioria da população do planeta está em estagnação ou decadência.

Publicidade

A área das comunicações e da tecnologia continua a ser a actividade mais lucrativa do planeta. O homem mais rico do mundo, para a Forbes, é Bill Gates, co-fundador da Microsoft, com uma fortuna avaliada em 79 biliões de dólares. Nessa lista segue-se o mexicano Carlos Slim, com 77 biliões de dólares, que também fez fortuna nas telecomunicações. O 3º lugar é de mais um norte-americano, Warren Buffet, que registou o mais alto ganho da lista. Buffet, dono da empresa de investimentos Berkshire Hathaway, tinha uma fortuna de 14.500 milhões de dólares que aumentou agora para 72 biliões de dólares

No top dos 20 mais ricos do mundo a novidade é Mark Zuckerberg, que fundou a plataforma Facebook. A Forbes menciona ainda que o bilionário mais jovem do planeta chama-se Evan Spiegel, tem 24 anos e é o co-criador da aplicação «Foto Messaging Snapchat App», detendo 1 bilião e 7 milhões de dólares.

A nível de países, a Rússia revelou que está a perder posição económica, perdendo 33 bilionários num ano.

Publicidade

A Rússia desceu 3 posições, estando agora em quinto lugar. O homem mais rico da Rússia, Vladimir Potanin, está em 60º lugar nesta lista e é um empresário da área dos minérios e metais. O facto de não existir nenhum russo na lista dos 50 mais ricos pode ser um indicador claro de como o país está a ser castigado internacionalmente através das sanções a que foi sujeito depois dos acontecimentos na Ucrânia. Os países com mais milionários continuam a ser os EUA, seguindo-se a China (que subiu), em terceiro a Alemanha e a seguir a Índia.