Num total de seis #Bancos que já divulgaram as suas contas referentes a 2014, o Banco de Investimentos Global é o que tem mais motivos para sorrir. Liderado por Carlos Rodrigues, o banco teve ganhos de mais de 82 milhões de euros. No total, representam um aumento de 40,8% em relação a 2013. O ano de 2014 foi de facto um ano em cheio para a instituição financeira com sede em Lisboa: ganhou pela sétima vez consecutiva o prémio de melhor banco na categoria de médio ou pequeno banco, atribuído pela revista Exame.

O segundo lugar do pódio é ocupado pelo Finantia, com lucros de 11,9 milhões de euros. Representa um aumento de quase 90% comparativamente ao ano de 2013 (6,3 milhões de euros foi o valor do lucros neste ano).

Publicidade
Publicidade

Trata-se de um banco com 27 anos de experiência, focado nos mercados ibérico, américo-latino, turco e russo.

Em terceiro lugar, surge o Banco Invest, que obteve lucros de 4,8 milhões de euros. É a única instituição financeira deste pódio que viu em 2014 os seus resultados líquidos diminuírem em relação a 2013. No total, 2014 representa perdas de 80,5% comparativamente ao ano de 2013. No entanto, o banco continua a ter lucros, sendo que os resultados de 2013 foram exponenciados por ganhos extraordinários.

Relativamente aos restantes três lugares, temos o Banco Privado Atlântico-Europa, o Banco BAI Europa e o Banco BIC Português. Em conjunto, os seis pequenos bancos representam lucros no valor de 107,8 milhões de euros. Um aumento relativamente a 2013, em que o somatório dos resultados líquidos foi 97,7 milhões de euros.

Publicidade

Do lado oposto da barricada, estão os cinco maiores bancos. Em conjunto, somaram mais de mil milhões de euros em prejuízos em 2014. O Novo Banco lidera o 'ranking' dos bancos com mais prejuízos no ano passado. Sozinho, o antigo BES teve prejuízos superiores a 467 milhões de euros, apenas entre Agosto e Dezembro de 2014 (o Novo Banco saiu da intervenção do Banco de Portugal em Agosto do ano passado).

Segue-se a Caixa Geral de Depósitos, com prejuízos de 348 milhões de euros. Uma melhoria substancial referente ao ano de 2013, que contou com prejuízos superiores a 578 milhões de euros. O Millennium BCP é, provavelmente, o banco que mais recupera, ainda assim não consegue sair da linha vermelha. Com prejuízos de 740 milhões em 2013, passa para 217,9 milhões de euros em 2014.

O BPI, a atravessar um período de indefinição, passou dos lucros de 2013 (66,8 milhões de euros) para prejuízos de 161 milhões de euros em 2014. Por fim, o Santander Totta, o único grande banco a conseguir lucros em 2014. Os resultados líquidos foram de 193,1 milhões de euros, uma melhoria em relação a 2013 (lucros de 102 milhões de euros). Ainda assim, os prejuízos de 2014 ficam abaixo dos 1,67 mil milhões de euros de perdas em 2013.