São vários os países que têm nos últimos meses realizar emissões de dívida a taxas de juro negativas. A Alemanha já o fez com títulos até cinco anos e a Espanha também conseguiu esta semana 232,5 milhões de francos suíços de dívida (cerca de 215 milhões de euros) com maturidade em Julho de 2025 (portanto, daqui a 10 anos) e com taxas de juro de -0,055%. De acordo com a informação revelada pelo Tesouro Suíço, estes são os dados da emissão inédita de dívida a 10 anos, realizada esta quarta-feira pela Suíça, com rating AAA. Tendo em conta a taxa de juro conseguida pelo país europeu, os investidores não só ficaram interessados, como ainda estão dispostos a pagar por ficar com dívida suíça.

Publicidade
Publicidade

Por outras palavras, com taxas de -0,055%, os investidores não vão receber juros por comprarem títulos da dívida suíça, mas terão de pagar por eles.

Este tipo de emissão de dívida a taxas negativas não é inédita, sendo que o que existe de singular é o facto de a Suíça ter conseguido no maior prazo de sempre: 10 anos (segundo vários analistas). De facto, nos últimos meses, são vários os países que têm vindo a concretizar emissões de dívidas a taxas de juro negativas. A Espanha, por exemplo, conseguiu, também ainda esta semana, realizar uma emissão a um ano com taxas de juro negativo. A Alemanha é um outro exemplo, tendo conseguido o feito com título até cinco anos, numa emissão a um ano.

Mas o que pode levar os investidores a estarem dispostos a emprestar dinheiro e pagarem por isso? Essa é a questão que hoje se deve colocar.

Publicidade

Atualmente, o problema e a resposta à questão que vários investidores têm de enfrentar é a dificuldade em encontrarem alternativas para guardarem o seu dinheiro com taxas mais altas e com um nível de risco muito próximo do nulo.

Adicionalmente, para um banco, guardar o dinheiro no banco central já não é uma operação rentável. Esta situação também afeta a Suíça, onde as taxas de juro de depósitos do banco central estão abaixo do zero. Desta forma, ganhar mais dinheiro implica arriscar mais, o que pode não ser suficientemente aliciante para um investidor. Todavia, caso se verifique uma subida do valor dos títulos de dívida ou uma apreciação do franco suíço, os investidores ainda podem vir a ganhar dinheiro.