"O que se está a passar nesta empresa é um caso de polícia". É desta forma que Arménio Carlos, lider da CGTP, avalia as alegadas condições a que os trabalhadores da empresa Transportes Nogueira, com sede em Vila Nova de Famalicão, estão sujeitos. Esta manhã de sexta feira, e durante mais uma ação do piquete de greve de 30 trabalhadores à porta da empresa, o líder da CGTP exige que "a entidade patronal discrimine todas as matérias pecuniárias na folha de vencimento". "Se é trabalho extraordinário ou ajudas de custo, se é salário ou prémios dos trabalhadores, se é pagamento do descanso semanal ou são relativos a feriados. Isto é uma informação elementar. O que é estranho é que a entidade patronal, e depois de solicitado pelos sindicatos por escrito, se recusa a fazê-lo. Estamos diante de um caso que importa averiguar", apontou Arménio Carlos, que pede a intervenção do Ministério Público e da Autoridade para as Condições do Trabalho.



"Não se pode permitir uma situação que indicia fraude e evasão fiscal. É o que se está a passar na Transporte Nogueira. É um caso de polícia", aponta Arménio Carlos, que se juntou aos trabalhadores que dizem estar a ser "ameaçados". Para os sindicalistas, a situação da formação dos trabalhadores e das ajudas de custo também não está a ser cumprida pela empresa Transportes Nogueira.


A Blasting News entrou em contacto com a administração da empresa da Transporte Nogueira. Esta não quis responder às questões levantadas pelos sindicalistas e trabalhadores da empresa, mas adianta que a situação é um problema de cariz "nacional" e que tem que ser a Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários a responder.


Desde o início da semana, nomeadamente a passada segunda-feira, que são formados vários piquetes de greve em ação de protesto à porta da empresa. Cerca de 30 trabalhadores protestam ali, com tarjas e buzinões. Estes dizem que, caso a situação não se resolva, vão continuar a recorrer à greve e a outras formas de luta mais severas. Na Transportes Nogueira trabalham mais de 400 motoristas.