No decorrer deste ano foi lançada a Raize, uma plataforma online que começou a ganhar forma em 2012, pelos três empreendedores José Maria Rego, Afonso Fuzeta Eça e António Marques. Esta plataforma online permite a cada utilizador do site tornar-se investidor e financiador de empresas. Esta é a primeira plataforma dedicada a empréstimos colectivos em Portugal. Pelo seu carácter inovador foi-lhe atribuído destaque em Abril do presente ano, onde foi finalista do Prémio #Inovação NOS para a categoria de melhor Start-Up. Este prémio que distingue as práticas mais inovadoras no mundo empresarial português é promovido pela NOS, Dinheiro Vivo e TSF.

Publicidade
Publicidade

A Raize pretende que cada pessoa possa financiar empresas, que ao invés de recorrerem à banca, recorrem a particulares. E os particulares podem assim, ter um papel activo e real na economia do país, recebendo juros pelos seus investimentos. A ideia surge à semelhança do crowdfunding, mas ao invés de se doar dinheiro a determinado projecto/empresa, neste caso é um empréstimo.

As empresas que se candidatam passam por um rigoroso processo de avaliação para a atribuição da categoria em que se inserem. São excluídas as empresas constituídas com menos de 2 anos ou em incumprimento. Os juros dos empréstimos são creditados mensalmente para salvaguardar o utilizador, dando-lhe possibilidade de utilizar esses ganhos para, se o desejar, continuar a sua actividade de investimento.

Publicidade

As empresas que passam neste criterioso processo de avaliação e entram na plataforma, solicitam um valor no mercado da Raize, e estipulam a duração desse empréstimo. A taxa de juros é fixa pelo próprio investidor, que tem para isso empresas avaliadas em A, que se traduz em empresas de menor risco para investimento, B+, B-, e C, sendo esta última categoria a que apresenta maior probabilidade de risco de incumprimento, e onde os juros serão mais elevados para esse empréstimo. O sim final para o empréstimo é dado pela empresa, que aceita ou declina o investimento de cada particular.

Os investimentos começam a partir de 20€, sendo o investidor quem decide o valor que despende a cada empresa. Pode investir numa ou em diversas empresas com diferentes valores, e diferentes durações de empréstimo. Para o investidor a utilização da plataforma é gratuita; no caso das empresas a Raize fica com uma percentagem de 3%.

Nas palavras do cofundador José Maria Rego: "Com isto conseguem construir-se oportunidades para ambas as partes. Para as empresas, porque têm na Raize um canal alternativo e com custos mais reduzidos para financiar as suas actividades. E para as pessoas, porque têm uma nova forma de investir, ao mesmo tempo que apoiam directamente o financiamento da nossa economia." #Negócios