A Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) revelou hoje, dia 31 de Julho, um estudo macroeconómico onde revela que a quebra de exportações de Portugal para países como Angola e Brasil pode fazer com que milhares de emigrantes portugueses voltem para o país. Se tal se verificar, isso seria um grande entrave para a recuperação económica de Portugal, visto que a maioria deles iria regressar ainda em idade para trabalhar. “Este regresso vai levar a grandes tensões na Segurança Social, dada a falta de emprego actual em Portugal”, afirmou a CMVM em comunicado. O regresso de milhares de portugueses a Portugal não é visto com bons olhos pela CMVM, que garante que se este fenómeno se verificar em grande escala, a economia em Portugal, já de si muito frágil, vai sofrer um enorme problema no seu pequeno crescimento.

Publicidade
Publicidade

As preocupações da CMVM devem-se à redução significativa de exportações do nosso país para países que contam com um elevado número de trabalhadores portugueses nas mais variadas empresas, como é o caso de Angola e Brasil.

No comunicado revelado hoje, dia 31 de Julho, depois de um vasto estudo macroeconómico, a CMVM garante que se o regresso a Portugal de emigrantes em idade de trabalho não reduzir rapidamente, este fenómeno pode levar a uma enorme degradação económica do país, bem como a um enorme esforço para a Segurança Social. “Portugal vive um ritmo lento de criação de postos de trabalho e isto significará obrigatoriamente um abrandamento significativo no crescimento económico do país”, lê-se no comunicado da CMVM.

Para além da falta de volume de exportações, o facto dos empresários portugueses verificarem uma enorme redução dos seus potenciais lucros, devido à falta de procura no mercado, leva a que esta situação crítica não possa ser rapidamente resolvida e combatida.

Publicidade

Para a CMVM e para a economia portuguesa o eventual regresso de emigrantes, mesmo que qualificados, é considerado um grande problema para a recuperação do país, fazendo com que o desemprego voltasse a aumentar e os subsídios vindos da Segurança Social também. #Desemprego #Emigração