O Instituto Nacional de Estatística revelou que no primeiro semestre de 2015 cerca de 7,7 milhões de hóspedes ficaram nos hotéis portugueses. Estes valores revelam que houve um aumento de 8,5% em relação ao mesmo período do ano de 2014. Apesar do aumento do número de hóspedes e, consequentemente, de dormidas, observa-se que a estadia média dos hóspedes diminuiu em 1,1% em relação ao ano anterior. Apesar disso, de acordo com o Dinheiro Vivo, o mercado interno tende a crescer. A mesma fonte aponta ainda que são os estrangeiros um dos principais motores que têm conduzido o negócio hoteleiro em Portugal.

A mesma fonte especifica os dados referidos anteriormente: no total registaram-se 7.706.200 hóspedes que foram apontados como sendo os responsáveis por 20.703.900 dormidas.

Publicidade
Publicidade

Apesar de no primeiro semestre do ano se ter observado um aumento de 7,3% em relação ao ano passado, em junho houve um aumento notável, sendo este um período em que se registaram cerca de 5 milhões de dormidas. Os aldeamentos turísticos, durante o período de tempo abarcado, subiram 10,5%; no caso dos hotéis, o valor aumentado foi de 8,7%.

Graças à subida indicada, o negócio da hotelaria registou ainda lucros que rondam cerca de 994,3 milhões de euros, valor esse que permite observar mais um aumento em relação ao ano anterior, neste caso de 12%. Subiu também o rendimento por quarto disponível em 11,4%, registando, no presente ano, uma média que ronda os 29,7 euros.

Os valores relativos às dormidas foram positivos em todas as regiões, sendo os Açores aquela que registou os indicadores mais altos.

Publicidade

Durante o primeiro semestre de 2015 esta área observou a presença de 509 mil dormidas (registando um aumento de 23% em relação ao ano anterior). São os não residentes o principal fator que levou a estes valores (269 mil, que representam 17,2%), contudo registou-se também um aumento de estadias da parte dos residentes (verificando-se 240 mil, correspondentes a um aumento de 30%). Estes valores devem-se à entrada dos lowcosts, bem como à maior liberalização aérea no arquipélago. 

Além disso, na região Norte de Portugal Continental registaram-se 2,6 milhões de dormidas (um aumento de 14%) e no Centro observaram-se até agora 1,4 milhões (neste caso, um aumento em 13,4%).

Contudo, apesar dos resultados positivos, observa-se uma descida na estadia média observada: esta diminuiu 1,1%, com uma média de 2,66 noites nos hotéis. No entanto, também se observaram melhorias na taxa de ocupação: de janeiro a junho de 2015, a taxa de ocupação líquida esteve nos 40%. #Negócios #Turismo