O valor do ouro em Portugal sofreu uma queda de 40% no ano de 2013, no entanto, durante o presente ano, surgiram mais 247 lojas de compra e venda de ouro usado no país. Durante 2011, de acordo com o Dinheiro Vivo, observou-se uma abertura notável de várias lojas que exercem estes negócios, tendo este período registado mais de 1500 lojas novas por todo o país. No entanto, graças à queda mencionada anteriormente, quase todas as lojas em questão acabaram encerradas. Contudo, neste ano, este género de negócio está a crescer (ainda que ligeiramente), apesar do mesmo resultar em vários prejuízos para o Estado.

Ao todo, conforme é referido pelo Dinheiro Vivo, existem 4427 lojas de ourivesaria, o que revela mais 247 lojas em relação ao que foi registado em 2014, durante o mesmo período.

Publicidade
Publicidade

No entanto, de acordo com a mesma fonte, o INCM (Imprensa Nacional - Casa da Moeda) revelou que até ao dia 18 do presente mês só abriram 114 novas lojas, sendo maior o número relativo às que foram fechadas (288). 

Apesar dos valores em questão abarcarem tanto as ourivesarias tradicionais, como as lojas de compra e venda de ouro usado, a ACORS (Associação dos Comerciantes de Ourivesaria e Relojoaria do Sul) confirma que o aumento mencionado é relativo ao segundo tipo de lojas. José Baptista, presidente dessa mesma associação, salienta o facto de as lojas de vendas de peças em segunda mão continuarem com um bom funcionamento, algo que não se nota de igual modo nas ourivesarias tradicionais, cujas atividades têm sofrido um crescimento de maior lentidão.

Relembramos que em 2013 o ouro perdeu cerca de 40% do seu valor, tendo este caído de 1400 euros para 900 euros. João Pinto, analista da consultora Golden Broker, referiu ao Dinheiro Vivo que, do seu ponto de vista, há muitas pessoas que têm stocks e estão apenas à espera do aumento do valor do ouro por forma a tentarem recuperar os valores que foram perdidos com a desvalorização de 2013.

Publicidade

João também acredita que se o valor do ouro tiver realmente um aumento, as lojas de compra e venda de ouro usado poderão sofrer um novo aumento de clientes.

De acordo com o Expresso, apesar do disparo que este género de negócio registou em 2011, estas lojas são prejudiciais ao Estado. Conforme explica a mesma fonte, a existência destes #Negócios tem consequências negativas tanto no IRS como no IRC, devido ao facto de estas lojas serem pertencentes a uma área de negócio sobre a qual a AT (Autoridade Tributária e Aduaneira) não detém controlo. No mesmo ano em questão, o RASI (Relatório Anual de Segurança Interna) alertou para o aumento de popularidade desse género de lojas, atribuindo a causa à crise económica das famílias portuguesas.