As falhas no Portal das Finanças têm sido uma constante, quando o assunto é a declaração de rendimentos dos contribuintes. A confusão já se tinha instalado aquando da aplicação do e-Fatura, em que os contribuintes tinham de entrar no Portal das Finanças, com uma senha previamente pedida aos respectivos serviços da Autoridade Tributária. Com as novas regras a serem aplicadas, sem uma explicação atempada e prévia aos contribuintes, muitas situações complicadas surgiram.

Os contribuintes mal informados, com especial atenção ás pessoas mais idosas para quem o mundo das novas tecnologias de comunicação é adversário, encontraram diversos problemas neste novo procedimento, como o facto de terem de pedir a senha dos seus dependentes separadamente, o que gerou uma certa confusão.

Publicidade
Publicidade

Outra das situações foi o facto de não ter sido explicado atempadamente que certas despesas, como os rendimentos do trabalho ou relativamente à casa, não iam aparecer nesta fase do processo, apenas mais tarde aquando do preenchimento final da declaração. A falta da introdução dos valores por parte das entidades responsáveis também gerou confusão, fazendo com que tivessem de ser os contribuintes a colocar no e-Fatura despesas como as mensalidades das escola ou das refeições dos filhos. 

Foram então arranjados meios para que as pessoas com dificuldades em consultar e introduzir facturas fossem auxiliadas, em juntas de freguesia e nas estações dos CTT. Esta deveria ter sido a resolução do problema, mas não foi. O constante tráfego e a sobrecarga nos servidores do Portal das Finanças vieram mais uma vez prejudicar a imagem e funcionamento do sistema .

Publicidade

A situação demorou a normalizar, tendo sido alargado o prazo para a confirmação das facturas por parte dos contribuinte.

Passada esta fase do processo, a que se seguiu não foi muito melhor: inúmeras pessoas viram os dados que tinha introduzido à mão aparecerem em duplicado, desta vez introduzidas à última hora pelas respectivas identidades. Uma situação que só pode ser alterada no próximo e último passo deste processo, que é o preenchimento das tão complicadas declarações de impostos. Os contribuintes tiveram assim um prazo para reclamarem acerca das inconsistências da pré-fase. O fim desse prazo, coincidiu com o início da entrega das declarações no portal das finanças pelos trabalhadores dependentes e pensionistas e mais uma vez, o sistema falhou.

Contribuintes queixavam-se esta sexta-feira que o site não estava a funcionar, situação que foi confirmada pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos, Paulo Ralha. Ao que foi confirmado por uma fonte do Ministério das Finanças, que durante a noite foi feito um ajuste do programa informático pelos Serviços de Autoridade Tributária e Aduaneira (AT).

Publicidade

Os contribuintes mostram-se insatisfeitos com todo este processo, com tantas falhas que têm surgido desde o início do e-Fatura, e receiam vir a ser penalizados no momento de serem reembolsados. Lamentam a falta de informação que houve e revelam não ter muitas esperanças no sistema. #Governo