O projecto chama-se MaEEle (Manuais Escolares Eléctronicos) e a ideia começou no ano passado na Escola Básica de Cuba (Alentejo). Segundo o Director, Germano Bagão, a troca dos habituais manuais, através de tablets, pelos actuais em formato electrónico tem vindo a dar mais motivação e aumento da média geral das notas. Principalmente por alunos com baixo aproveitamento escolar. As turmas deste projecto foram cuidadosamente escolhidas pelas suas dificuldades de aprendizagem, falta de concentração e pouca vontade de aprender.

Um dos motivos para este sucesso, pode ser precisamente o facto de ser uma nova geração pouco habituada aos #Livros. "As crianças desde pequenas praticamente não tiveram contacto com nada a não ser tecnologia", diz um psicólogo infantil, que acha que poderá ter de ser futuramente uma "adaptação pedagógica necessária" em beneficio do sucesso escolar geral. O alunos incluídos neste projecto são mais de 40, pertencem ao 3.º ciclo e o tablet será a sua ferramenta até ao final do 9.º ano. Segundo os envolvidos neste projecto os resultados são brilhantes. Acreditam que este projecto comece a ser utilizado pelas restantes escolas do agrupamento e seja alargado a outros ciclos.

Vários dos alunos dizem que este método sem livros é mais fácil porque um tablet lhes dá mais facilidade de fazer pesquisas, mas a maioria diz apenas estar mais habituado a um ecrã do que a folhear livros. "Consigo perceber melhor no tablet e posso ver imagens", diz um dos alunos. Os pais consideraram a ideia fiável e estão bastante contentes com os resultados. Por ser um projecto ainda em estudo, os manuais foram gratuitos mas, se esta ideia for realmente abraçada a nível nacional, de futuro serão bem mais baratos. Com as dificuldades monetárias de muitas famílias, o valor dos mesmos nos dias de hoje é praticamente insuportável. Tem ainda a vantagem de ser uma ideia mais ecológica e prática. Este projecto pioneiro foi apoiado pela Fujitsu e Porto Editora e poderá ser alargado a todo o país. #Educação