No estudo sobre as instituições do ensino superior a nível mundial, financiado pela União Europeia, estão presentes seis estabelecimentos de ensino superior em Portugal, considerados como os melhores do mundo. Um salto qualitativo em relação ao ano anterior em que apenas figuravam três universidades portuguesas. O estudo desenvolvido pela U-Multirank realizou-se pela primeira vez em 2014, com um total de 850 estabelecimentos em análise oriundos de 70 países.

No ano passado, Portugal foi distinguido com três nomeações para as melhores universidades do mundo, sendo elas a Universidade Nova de Lisboa, Coimbra e Porto. Já em 2015, o número de estabelecimento que pretendem ser a melhor universidade do mundo subiu para 1200 instituições sendo que se juntaram à lista mais 15 países que no ano passado. Este estudo baseia-se em cinco pontos fundamentais: ensino/aprendizagem, investigação, transferência de conhecimento, orientação para internacionalização e envolvimento regional.

Perante esta análise, a classificação de 2015 não só mantêm as instituições distinguidas no ano passado como acrescenta ainda a Universidade de Aveiro, Minho e Lisboa. De ressalvar ainda que as universidades portuguesas foram distinguidas especialmente no campo da investigação, onde as instituições continuam fortemente a apostar. Para além destes seis organismos distinguidos, a organização do estudo prestou ainda uma menção honrosa a três outros estabelecimentos, a Universidade Fernando Pessoa, no Porto, o Politécnico de Lisboa e o Instituto Superior de Engenharia de Lisboa.

Este é apenas um dos estudos utilizados para medir o ranking das instituições de ensino superior, sendo que são também utilizadas investigações como o ARWV, THE, QS, Financial Times e Webometrics.

De acordo com os dados divulgados aquando do ingresso no ensino superior em 2015, cerca de oito mil alunos frequentam apenas o primeiro ano de universidade, desistindo depois no segundo, sendo que esta observação é mais identificada no privado do que no público. De qualquer forma as licenciaturas de Ciências Sociais, Comércio e Direito são as áreas em que se verifica um maior número de abandono por parte dos estudantes. #Educação