Independência e liberdade. Juntas são normalmente associadas a lutas nacionalistas, ações de defesa de direitos ou marchas pela integridade. Neste caso falamos de #Educação mas que provavelmente levará às anteriores premissas. O método Montessori ganha um renovado interesse, enquanto ferramenta capaz de contribuir para um desenvolvimento mais harmonioso e integrado da criança. O tema foi desenvolvido numa entrevista do pediatra Bilhota Xavier à revista Pais & Filhos.

O nascimento de uma criança acarreta sempre inúmeras decisões. Os pais absorvem em pouco tempo todas as novidades sobre cuidados infantis e investem naquilo que consideram essencial. Não haverá tema mais tabu do que o sono e como tal, a questão passa a ser uma das preocupações primordiais dos cuidadores. Independentemente da vertente escolhida (treino do sono vs co-sleeping) assim que a criança estiver preparada para ter o seu próprio espaço há que ter em atenção vários aspetos. Atualmente conhece-se muito acerca do desenvolvimento cognitivo dos bebés e por esse motivo, muitas das concepções mais antigas teem sido postas em causa. Os especialistas aconselham a que os cuidadores fomentem a liberdade de movimentos e a de expressão.

Este método, criado por Maria Montessori (educadora e médica, não decoradora), propõe que a criança cresça entre tentativas-erro e encontre formas de solucionar pequenos problemas utilizando as suas capacidades e criatividade. As principais alterações físicas nos quartos passam por colocar a cama no chão; os espelhos à altura do bebé; mobiles pendurados (barras/fitas); móveis minimalistas e à disposição dos pequenos.

Todas estas mudanças refletem diretamente no comportamento e desenvolvimento psico-motor. Esta metodologia apresenta inúmeras vantagens e pode acompanhar o crescimento infantil. Promover a auto-estima nas crianças pode ser uma ferramenta valiosa na prevenção da depressão infantil. São cada vez mais os casos de crianças a sofrer de angústia em idades precoces, sublinha o pediatra Bilhota Xavier numa entrevista à revista Pais & Filhos. Se desde pequenos lidarem com as suas próprias descobertas de forma livre, estarão melhor preparados para enfrentar eventuais adversidades ou mudanças que interfiram com a sua psique.