O ano lectivo poderá começar uma semana mais tarde este ano. De acordo com o jornal online Observador, o Ministério da #Educação apresentou a proposta de iniciar as aulas entre 15 e 21 de Setembro, num documento enviado à comissão pedagógica do Conselho de Escolas. Este organismo recusou-se a prestar declarações à imprensa. Do lado da tutela, a proposta é justificada com o equilibrar da duração de cada período.

Há poucas semanas, o Conselho das Escolas recomendou a criação das férias de Outono, de modo a encurtar o primeiro período, que habitualmente é o mais longo. Do lado dos Agrupamentos e Escolas Públicas, o calendário sugerido causou perplexidade, para mais sabendo da antecipação dos concursos de colocação de docentes.

Ano lectivo mais curto

Mas não é só o início do ano lectivo mais tardio: a proposta do Ministério da Educação contempla também um final prematuro das aulas relativamente ao que sucedeu neste mês de Junho - para os alunos que este ano terminaram no dia 5, a data de conclusão das aulas será a 3 de Junho no próximo ano; e os que terminaram a 12, vão para o próximo ano terminar a 9 de Junho.

Associações de pais divididas

A Confederação Nacional de Associações de Pais (CONFAP) mostrou-se desfavorável ao novo calendário para 2015/2016, alegando que não será possível fazer melhor em menos tempo. No polo oposto, a Confederação Independente de Pais e Encarregados de Educação (CNIPE) refere que o que deve ser tido em conta é o bem-estar de professores e alunos, com a responsável Isabel Gregório a escusar-se debater a data de início do ano lectivo.

A verdade é que, a confirmar-se a proposta, este será o início de ano lectivo mais tardio em vários anos. Aliás, na última década nunca o prazo limite para o início das actividades lectivas foi 21 de Setembro - o mais tardio de que há registo na última década foi em 2007/2008, a 17 de Setembro.

Pausas lectivas habituais

Quanto às pausas lectivas, apesar da sugestão do Conselho das Escolas em criar as férias de Outono, continuam a ser as habituais - Natal (18 a 31 de Dezembro (regresso às aulas a 4 de Janeiro), Carnaval (8 a 10 de Fevereiro) e Páscoa (21 de Março a 1 de Abril, regresso às aulas a 4 de Abril).