Parece que a crise não atinge o sector das tecnologias de informação visto que, segundo dados estatísticos, o mesmo está em constante crescimento. A multinacional Microsoft celebrou recentemente um protocolo com o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) que visa permitir a formação de desempregados inscritos no centro de emprego em IT (Tecnologias de Informação). Desta forma, estes desempregados, durante o período de formação, irão ter acesso gratuito ao software da empresa. O protocolo pretende complementar as trinta academias de tecnologias de informação já existentes nos centros de emprego.

O número de desempregados estimado pela Microsoft que irá beneficiar anualmente do seu software gratuito é de 250 mil.

Publicidade
Publicidade

Uma previsão bastante positiva, se considerarmos que se prevê que este protocolo dure, no mínimo, três anos.

As academias de tecnologias de informação foram implementados há um ano e têm como intuito dotar os desempregados de instrumentos que lhes permitam estar melhor preparados para voltarem a ingressar no mercado de trabalho. De acordo com João Couto, director geral da Microsoft Portugal, "a melhor forma de ajudar os desempregados é ajudá-los a melhorarem as suas competências e nada melhor do que fazê-los apostar num sector em profundo crescimento".

Jean-Philippe Courtois, o presidente da Microsoft a nível internacional, referiu que o principal objetivo da multinacional é certificar e requalificar mais de 10 mil desempregados em apenas um ano. João Couto revela que neste sector, só em Portugal, há quase 5.000 vagas por preencher e prevê que no futuro este número possa crescer.

Publicidade

Para Otávio Oliveira, secretário de Estado do Emprego, esta parceria constitui um passo fulcral no sentido da diminuição do #Desemprego e da promoção da empregabilidade. É cada vez mais importante apostar na formação digital, uma vez que a sociedade caminha nesse sentido. Desta forma, o secretário de Estado vê esta medida como uma mais-valia também para todos aqueles que se encontram numa situação de emprego precário. #Recrutamento