Além de selecionar os candidatos, o IEFP financia formação na língua francesa e informática aos candidatos. A Randstad apenas contratará pessoas para a Altice, quando já estiverem habilitadas a exercer o trabalho, sendo que a primeira formação será financiada pelo IEFP, incluindo a licenciados para posteriormente serem pagos pelo salário mínimo nacional.

Entre as 16 pessoas chamadas para a entrevista colectiva de emprego, encontravam-se licenciados nas mais diversas áreas: arquitectura, jornalismo ou engenharia. Mas também um agricultor que abandonou rapidamente a sala. “Eu falo bem francês mas a minha cabeça não dá para isto”, justificou-se o homem, atingido pelo #Desemprego, poucos anos antes de atingir a idade da reforma.

Uma das licenciadas presentes não se quis identificar, mas falou com a Blasting News, após a sessão. Disse que foi a primeira vez, em mais de cinco anos de inscrição no IEFP, que foi chamada para emprego, numa proposta que considera “vergonhosa”.

De realçar por fim que dos 16 candidatos chamados para esta primeira sessão com a Randstad, apenas uma seguiu para entrevista individual. Os restantes desistiram, desiludidos com a proposta.