O Fórum Económico Mundial divulgou na sua página oficial o “ranking” dos 10 maiores empregadores do mundo durante o ano que agora findou, o de 2015, com o Departamento de Defesa dos Estados Unidos da América a liderar a classificação com um total de 3,2 milhões de trabalhadores. Na segunda posição surge o Exército de Libertação do Povo, da China, que emprega 2,3 milhões de cidadãos, enquanto a fechar o pódio encontra-se a multinacional Walmart, que vende vários artigos de alta qualidade a preços bastante reduzidos e é responsável por 2,1 milhões de pessoas.

O McDonald’s, que representa a maior cadeia mundial de restaurantes de “fast food” de hambúrguer, segue no quarto lugar com um total de 1,9 milhões de trabalhadores, incluindo os estabelecimentos de franchising. Sem estes, o número cairia para os 420 mil trabalhadores, o que faria com que esta empresa mundialmente conhecida saísse do “ranking” do Fórum Económico Mundial.

Quinto posto para o Serviço Nacional de Saúde Britânico, que possui 1,7 milhões de funcionários, tendo atrás de si dois gigantes do continente asiático, mais precisamente a petrolífera China National Petroleum Corporation (CNPC) e a Companhia Nacional da Rede Elétrica da China, com 1,6 e 1,5 milhões de pessoas, respectivamente.

A Índia ocupa o oitavo e nono lugares deste “ranking”, nomeadamente os caminhos-de-ferro indianos com 1,4 milhões de trabalhadores e as forças armadas indianas com menos 100 mil pessoas face ao seu mais directo adversário, ou seja, com 1,3 milhões de cidadãos.

A fechar a classificação dos 10 maiores empregadores do mundo no ano transacto surge a Hon Hai Precision Factory, que é a maior fabricante de componentes electrónicos e de computadores no mundo, mais conhecida por Foxconn, com 1,2 milhões de empregados, sendo estes já referenciados algumas vezes na imprensa devido às condições laborais a que estão sujeitos dentro da empresa sedeada em Taiwan.

Este “ranking” totaliza 18,2 milhões de trabalhadores, ou seja, uma grande fatia da classe trabalhadora nas empresas existentes em todo o mundo. #Negócios