A obesidade está crescendo entre adultos, mas o que assusta é o grande número de crianças e adolescentes obesos. Os lanches rápidos, como hambúrgueres, cachorros-quente, mistos-quente, e tantos outros em conjunto com batatas-fritas, pizzas, são refeições altamente calóricas e a base do consumismo hoje em dia. Um breve passeio no shopping não pode ser completo sem uma parada nas grandes redes de fast-food. É uma delícia um lanche com refrigerante, outro vilão da obesidade, mas tudo nesta vida deve ser comedido. A alimentação diária deve incluir uma grande variedade de legumes, verduras e frutas, assim como o tradicional arroz com feijão, tão conhecido de nossos pais e avós, mas facilmente substituído por "bobagens" hoje em dia.

Publicidade
Publicidade

Devido a violência, os pais estimulam as crianças a brincarem em casa. Videogames, computadores, TV por assinatura com diversos canais infantis, oferecemos de tudo para que fiquem em casa, confortáveis e seguros. As brincadeiras na rua, correndo com os amigos já não são o "normal" de todas as crianças hoje em dia, principalmente daquelas que não vivem em condomínios fechados, onde podem brincar cercadas de grades, porteiros e segurança. Este sedentarismo "acolhido" pelos pais, é um dos fatores fundamentais na obesidade infantil. Costumamos presenteá-los com idas ao cinema recheadas de guloseimas, para suprir a falta de nossa presença em seus dias. O trabalho nos afasta por horas e o cansaço completa a ausência mesmo estando presentes, pois stress e fadiga também tiram a paciência e a energia para brincadeiras e companheirismo com os filhos.

Publicidade

Entre adultos muitos fatores podem levar à obesidade, como por exemplo, problemas na vida pessoal, separação, viuvez, dificuldades no casamento, stress, ansiedade, depressão, todos esses podem levar à compulsão alimentar. Deixar de fumar também leva a ansiedade que leva a compulsão e por aí vai... E tantos outros fatores psicológicos que também levam ao sedentarismo e que acabam por contribuir no aumento de peso e na consequente obesidade. A gordura localizada no abdômen é mais preocupante do que a gordura corporal em si, pois há riscos cardiovasculares. Homens devem ter até 102 cm de circunferência abdominal e mulheres não devem passar de 88 cm: números acima destes devem ser observados, pois há risco cardiovascular elevado.

Para saber se você está obeso é só calcular seu índice de massa corporal (IMC), fator que mede a obesidade em adultos.

ICM= peso

estatura x estatura

Ex: 70 = 70 = 22,9 kg/m² (normal)

1,75 x 1,75 3,0625

Veja a tabela: ICM (kg/m²) Classificação

< 18,5 Baixo peso

18,5 - 24,9 Normal

25 - 29,9 Sobrepeso

30 - 34,9 Obesidade grau I

35 - 39,9 Obesidade grau II

> 40 Obesidade grau III

Calcule o seu índice de massa corporal e comece desde já a se policiar na alimentação.

Publicidade

Caso esteja obeso, preocupe-se em ingerir alimentos saudáveis, fazer alguma atividade física e procure não passar muitas horas sem ingerir algum alimento, pois uma fruta ou barra de cereais no intervalo entre as refeições já foi provado que acelera o metabolismo, queima calorias e evita que na refeição seguinte você esteja "morrendo de fome". Não tente perder peso rapidamente, pois todos estes quilos "perdidos" serão "encontrados" logo depois. Seu corpo não terá aprendido a se alimentar corretamente e os maus hábitos voltarão em seguida. Exercite-se, se não gosta de academias, como eu, caminhe, ande de bicicleta, dance, se mora em uma casa, instale um "saco de pancadas" e treine chutes e socos, irá extravasar suas neuras e ao mesmo tempo, queimar energia. Se tem filhos com problemas de obesidade, faça esta reeducação alimentar com eles e as atividades também, será divertido e no final todos ganharão em saúde física e mental, além de aprenderem muito um com o outro e conhecerem-se melhor. Vale a pena tentar, nunca é tarde para mudar, é só começar... #Família