Num artigo anterior falamos sobre as dificuldades que os jovens têm em entrar no mercado de trabalho em alturas de recessão. Hoje vamos falar do polo oposto, das oportunidades e fatores a considerar para quem está dentro do mercado de trabalho e pretende mudar o seu rumo profissional. É normal que quem tem uma vida profissional estável, tenha maior margem para negociar ofertas de emprego e consiga mais regalias, em contrapartida quem não tem trabalho acaba por se sujeitar a qualquer oferta. Muitas são as pessoas que se encontram desmotivadas com o emprego que possuem, mas nem sempre é fácil encarar a mudança e dar o passo necessário para que tal aconteça.

Publicidade
Publicidade

Em causa está muitas vezes a dificuldade em saber o que fazer e quais os pontos centrais a ponderar para se conseguir fazer uma boa escolha.

É normal que quem recebe uma proposta de trabalho sem se candidatar, tenha maior margem para negociar. No entanto, em primeiro lugar deve ser feita uma análise realista e intensiva à sua situação laboral e contrapor com os seus objetivos profissionais a longo prazo. Uma decisão tomada de forma precipitada pode levar a uma escolha errada que rapidamente se traduz numa insatisfação ainda maior. Na "balança" deve ser colocado dum lado tudo aquilo que tem e pode vir a conseguir no atual emprego, contrabalançando com as ofertas que lhe tenham sido direcionadas. Entre alguns pontos centrais estão o salário, o ambiente de trabalho, benefícios não remunerados (seguro de saúde, carro, etc.) e a perspetiva de evolução dentro dessa empresa/departamento.

Publicidade

Para quem se encontra insatisfeito no emprego é fácil começar por se desleixar com as suas tarefas diárias. Este é o primeiro grande sinal de que está na altura de procurar uma mudança. Mesmo que a decisão de iniciar a procura de um novo emprego tenha sido tomada, nunca deve descurar o seu emprego atual. Para além de não se saber quanto tempo irá demorar a procura, existe sempre a possibilidade de virem a ser necessárias referências por parte das suas chefias para que seja aceite no novo emprego.

A procura do novo desafio profissional deve ser isso mesmo, procurar algo que seja desafiante. Para tal é necessário que sejam definidos critérios de pesquisa, onde já está decidido se o objetivo é só mudar de emprego ou se o pretendido é mudar de carreira/área de atividade. De forma alguma se deve optar por mudar o rumo profissional com base em aspetos financeiros. Se não existir motivação para o desempenho das tarefas, objetivos de evolução profissional e bom ambiente, de nada irá valer a troca pois a insatisfação irá voltar.

Publicidade

Após ter sido encontrado o desafio perfeito, será necessário valorizar a negociação da oferta. Para além do vencimento, deve ser explorado ao máximo a atribuição de regalias como a atribuição de um telemóvel e/ou computador, a possibilidade de ter carro da empresa ou subsídio de transporte e seguro de saúde que englobe o agregado familiar, só assim valerá a pena arriscar uma mudança profissional.