Sempre nos ensinaram que o leite é um alimento essencial ao nosso organismo. Os nossos pais diziam-nos que para crescermos precisávamos de beber muito leite e na escola, a meio da manhã, ofereciam-nos um pacote de leite. Era como se beber leite fosse sinónimo de saúde. Contudo, nos últimos anos vários estudos científicos têm indicado precisamente o contrário. Por exemplo, sabia que 70% da população mundial é intolerante ao leite de vaca?

A posição mais revolucionária deu-se em 2011, quando a Universidade de Harvard comunicou ao mundo que no seu novo guia de alimentação saudável os lacticínios estavam praticamente excluídos.

Publicidade
Publicidade

A culpa, segundo os estudiosos, é dos elevados níveis de gordura saturada e da presença de componentes químicos derivados do processo de produção. A solução passa por substituir este grupo de alimentos por legumes verdes: repolho, couve, brócolos, entre outros. No que toca a outras fontes de cálcio, é aconselhável recorrer à soja, ou/e a grãos de várias espécies.

Se faz parte daquele grupo de pessoas que não consegue passar um único dia sem consumir leite, respire fundo. Os autores deste estudo não proíbem por completo a ingestão de leite de vaca, apenas aconselham a sua redução para uma ou duas doses, no máximo, diariamente. O limite deve-se à relação verificada entre o consumo elevado de leite gordo e o risco de os homens contraírem o cancro da próstata e as mulheres o cancro no ovário (apesar do risco ser menor e apenas ser observado em porções de três ou mais de lacticínios).

Publicidade

Um outro estudo liderado por um especialista canadiano e posteriormente publicado na revista Pediatrics, também alerta para os riscos existentes quando se consomem elevadas quantidades de leite. Neste caso específico, pode levar à redução de ferro no nosso organismo e ao consequente risco de anemia. Foi esta a conclusão a que se chegou, depois ter sido analisada a ingestão diária deste alimento em cerca de 1300 crianças do pré-escolar.

De facto, somos os únicos mamíferos à face da Terra que consumem leite de uma espécie diferente durante toda a vida. As hormonas presentes no leite da vaca são mais fortes do que as humanas; imagine como serão depois de serem dados esteroides e outro tipo de hormonas para que produzam mais leite? Mais, a maioria destes animais não são alimentados de forma apropriada: ingerem desde alimentos geneticamente alterados, passando por pesticidas a antibióticos. Grande parte destas vacas nunca vê os pastos verdes onde, supostamente, deveria alimentar-se.

Também não podemos negar os benefícios. Certas vitaminas presentes no leite, como a vitamina A, B1 e B2 são essenciais para o desenvolvimento das crianças e no combate a doenças infecciosas. É ainda considerado o alimento natural com maior concentração de cálcio, bem como de fósforo e manganésio. Então, o que fazer? Beba com moderação. #Natureza