David Beckham foi durante muito tempo um dos símbolos máximos da metrossexualidade. Andava bem penteado, comprava muitos sapatos e hidratava bem a pele, nomeadamente com recurso a cremes. O termo metrossexual surgiu em 1994, cunhado pelo jornalista Mark Simpson, mas os tempos evoluíram e o escritor e jornalista britânico sentiu necessidade de inventar um novo termo: o 'spornossexual'. Mas o que é que um 'spornossexual' tem que um metrossexual não tem? Ou melhor, o que é que um 'spornossexual' não tem que um metrossexual tem? É que é a diferença está mesmo nesta última questão.

Segundo Mark Simpson, o que um 'spornossexual' tem a menos que um metrossexual é mesmo a roupa.

Publicidade
Publicidade

Ou seja, o que realmente tem é o corpo e a exposição do mesmo, nomeadamente nas redes sociais, apostando, por exemplo, em legendas provocantes.

Os abdominais ganham, portanto, grande destaque para esta nova #Moda. O que importa é a "indecência", a postura erótica, com um forte apelo sexual. E é assim que nasce o novo termo, sendo uma simbiose entre sports ("desporto" em português) e porno. De acordo com o criador do conceito, "estes homens são um fruto dos abdominais de Ronaldo, em que o desporto se mete na cama com a pornografia enquanto Armani tira fotografias". E Cristiano Ronaldo pode de facto tornar-se um símbolo 'spornossexual', tal como David Beckham se tornou um símbolo metrossexual.

Se gosta de ir ao ginásio e mostrar o que tem, então pode ser um 'spornossexual'. Os que se inserem nesta categoria invejam o corpo de Brad Pitt no filme "Fight Club".

Publicidade

O objetivo não é encher o corpo com esteroides, mas com músculos bem definidos.

Mas para além de pouca roupa, abdominais bem delineados e pele bronzeada, as tatuagens também são um acessório muito acarinhado pelos homens que se inserem nesta categoria. Mas não são tatuagens no geral. O que realmente interessa são aquelas que são capazes de realçar os músculos, de os exibir de forma mais evidente.

Embora o termo tenha sido cunhado muito recentemente, o estilo já foi identificado em 2006, numa campanha para a Dolce & Gabbana. Tratava-se de uma sessão fotográfica de jogadores da seleção italiana de futebol, fotografados em cuecas. #Cristiano Ronaldo