Na minha opinião, a Europa trouxe bastantes benefícios ao meu país.

Em primeiro lugar mudou a imagem de Portugal a nível internacional, visto que começamos a ser olhados como um país europeu com grande margem de progressão e não como o regime ditatorial e colonial do passado.

Em segundo lugar foi um factor determinante para a consolidação da democracia no meu país, afastando o perigo do cairmos outra vez nos braços de uma ditadura.

De facto em termos políticos estas foram as principais vantagens da adesão.

Em termos sociais e económicos houve uma evolução também quase inacreditável. O país rural, com falta de infra-estruturas, com uma sociedade pobre ficou para trás.

Aperfeiçoamos o nosso sistema nacional de saúde com benefícios claros para toda a população. O SNS é dos sistemas com melhor eficácia a nível europeu e é também reconhecido internacionalmente. Com isto reduzimos a taxa de mortalidade infantil (que já foi das mais altas do mundo) para um nível tão reduzido que nos orgulha. E também o facto de toda a gente poder ter acesso á saúde é motivo de orgulho para o nosso povo, e este sistema foi aperfeiçoado e financiado pelos contribuintes portugueses e pala U.E.

Outra vitória conseguida com o apoio da U.E, foi também a implementação do um serviço educativo gratuito e de qualidade, certo que ainda há melhorias a fazer, mas tenho a certeza que lá chegaremos. A constituição de universidades com grande qualidade também só foi conseguida por causa dos fundos europeus onde se pôde através de um regime de bolsas democratizar também este ensino.

A construção de auto-estradas, de uma linha rodoviária que percorre todo o país também só foi possível por causa dos fundos estruturais.

Tenho a certeza que se não estivéssemos na União Europeia, continuaríamos a ser um dos países mais pobres de toda a Europa e a nossa recuperação não teria sido tão significativa. É certo que ainda continuamos a mais de 20% da média europeia, mas tenho confiança que com as políticas certas, com os políticos certos e com o esforço dos portugueses lá chegaremos!