Uma gigantesca manifestação em Barcelona assinalou ontem, 11 de Setembro, o Dia Nacional da Catalunha. A província espanhola assinala a sua comemoração nacional neste dia, em memória do dia em que Barcelona caiu às mãos das tropas castelhanas, assinalando o fim da Guerra da Sucessão Espanhola, em 1714. A manifestação deste ano foi especialmente sensível não só pelo número exacto de 300 anos passado sobre a efeméride, mas também pela aproximação do referendo à independência da região, no próximo 9 de Novembro, que o governo espanhol considera ilegal. E ainda pelo referendo à independência da Escócia, no próximo dia 18, que os catalães e todos os europeus consideram como situações similares.

Publicidade
Publicidade

Os organizadores afirmam que cerca de 2 milhões de pessoas poderão ter participado, enquanto o governo espanhol aponta para apenas 500 000. Os participantes ocuparam duas das maiores avenidas da cidade, a Avenida Diagonal e a Gran Via, para formarem um gigantesco V, de voto e de vitória.

O presidente da Catalunha, Artur Mas, tem sido um dos principais obreiros do movimento, relembrando continuamente que os catalães pretendem um processo pacífico e democrático. Existem vários sinais desta vontade do povo catalão; desde o facto de 70% dos eleitores votarem em partidos pró-independência nas últimas eleições, até às manifestações recentes a favor da independência, como o cordão humano de 400 quilómetros de extensão que serviu de comemoração do dia nacional em 2013, ou simplesmente pelos assobios que se ouvem ao hino espanhol sempre que o FC Barcelona participa na final da Taça do Rei.

Publicidade



A Catalunha tem uma história de séculos enquanto reino independente, durante a Idade Média, enquanto reino de Aragão, a par com Castela e Portugal. Era de Aragão a rainha Santa Isabel, esposa de D. Dinis. Em 1492, o casamento dos "Reis Católicos" Fernando e Isabel selou a união definitiva de Castela e Aragão, formando a Espanha moderna. Com o tempo, as instituições e a língua catalãs perderam terreno, sofrendo um duro golpe com a derrota de 1714. Actualmente, a Catalunha contribui com cerca de 18% do PIB espanhol embora receba apenas 9% do orçamento, além de o rendimento per capita dos seus habitantes de encontrar acima da média europeia, ao contrário do rendimento espanhol. A Catalunha tem 7,5 milhões de habitantes; confirmando-se o número de 500.000 manifestantes indicado pelo governo de Madrid, ainda assim são cerca de 6,66% de toda a população.