Sendo a #Google um potente motor de pesquisa e tendo a Google News surgido após o 11 de Setembro "World Trade Center", dada a dificuldade de comparação de notícias de várias fontes/países, encontra-se atualmente disponível abarcando mais de 30 idiomas. Com a sua utilização livre e abrangendo todas as notícias (de grande jornais até pequenos blogs), os editores podem optar pela visibilidade das suas notícias. No sentido da criação de valor, muitas vezes, através da visibilidade das notícias da Google News, os utilizadores acabam por consultar as páginas dos sites oriundos (que as transportam), gerando um aumento do número de visitas e leitores on-line. O que está a acontecer em Espanha?

A entrada em vigor em janeiro da nova legislação sobre a propriedade intelectual e direitos de autor vincula a cobrança de serviços de Internet por cada conteúdo/publicação espanhola.

Publicidade
Publicidade

Trata-se de uma forma de proteção em ambiente digital, proposta pela associação de editores de jornais espanhóis e aprovada em outubro, também no sentido da proteção da imprensa que tem sido alvo de quebras. A nova lei requer uma taxa de compensação financeira indispensável para os editores.

Espanha não é o país pioneiro a exigir tal facto à Google, bem como a outros agregadores de notícias online, pois outros países da Europa (nomeadamente a Alemanha e França) já têm leis semelhantes aprovadas. Tal situação não será sustentável para a Google News, dada a não geração de receitas pela exibição dos conteúdos apresentados, sendo os mesmos incluídos segundo a opção por parte dos editores. Desta forma e lamentando a ocorrência, através do responsável do serviço, Richard Gingras, no dia 11 de dezembro, a Google News deixará de fazer transparecer os trechos das publicações dos editores espanhóis, acabando por efetuar o "shut down" deste serviço em Espanha, a partir do dia 16 de dezembro.

O que aconteceu nos restantes países da Europa?

  • Na Alemanha a maior parte dos grupos editoriais permitiu à Google News a utilização dos seus conteúdos de forma gratuita;
  • Em França, após 2 meses de negociações em 2013, a empresa chegou a acordo, estando em causa um fundo com o objetivo de ajudar a transição dos media para o ambiente digital no valor de 60 milhões de euros.
De referir que a empresa Google tem vindo a ser confrontada com vários desafios legislativos na Europa, como o "direito ao esquecimento" que foi fruto de uma decisão do Tribunal de Justiça da União Europeia e a aprovação de uma moção não vinculativa para a realização da separação do motor de pesquisa dos restantes serviços.