O grupo Anonymous declarou guerra à Al-Qaeda e ao ISIS através da campanha #OpCharlieHebdo, numa tentativa de vingar as 12 pessoas inocentes que foram mortas no ataque ao jornal satírico francês Charlie Hebdo. No vídeo publicado no canal belga do Anonymous, o grupo de hackers afirmou que vai fazer os possíveis para acompanhar todas as atividades on-line dos terroristas e que pretende fechar os sites e as contas das redes sociais daqueles que defenderem o terrorismo. Esta campanha pretende parar a proliferação das ameaças e do medo que estes grupos têm gerado em nome do radicalismo islâmico.

O Anonymous mostrou-se também intolerante em relação à afronta que os terroristas fizeram à liberdade de expressão e às tentativas da Al-Qaeda e da ISIS de utilizarem a internet como meio de recrutamento e como plataforma para espalhar o medo e o terror nas sociedades democráticas.

Publicidade
Publicidade

Como foi referido por este grupo: "A liberdade de expressão e de opinião são uma coisa inegociável, enfrentá-las é atacar a democracia".

Ao longo deste vídeos o grupo Anonymous declarou guerra aos terroristas, referindo que a democracia e a liberdade de expressão são a base do seu movimento e que os terroristas podem esperar uma reação frontal e em massa contra aqueles que puserem em causa estes valores. Uma mensagem que terminou com a frase: "Nós vamos encontrar-vos - a cada um de vocês - e vamos matar-vos". Uma promessa de vingança pelos inocentes que os jihadistas ousaram matar. A esta mensagem somou-se também uma ameaça contra os grupos terroristas que querem trazer para as sociedades democráticas valores extremistas que têm como base o medo e a restrição das liberdades.

Antes da publicação deste vídeo no YouTube, a legião Anonymous já tinha publicado um comunicado no website Pastebin cujo título é "Mensagem para o inimigo da liberdade de expressão".

Publicidade

Neste texto o grupo Anonymous afirmou que não vai cair de joelhos e que considera ser sua responsabilidade de reagir contra estes assassinos, referindo ainda que todos fomos afetados pela morte dos artistas Cabu, Charb, Tignous e Wolinski, que morreram em nome da liberdade. Como se lê no comunicado: "O grupo Anonymous sempre lutou contra os assassinos destes direitos e nunca permitirá que uma pessoa seja abatida radicalmente pela publicação de um artigo, de um desenho ou de uma opinião".

Esta não é a primeira vez que o grupo Anonymous declara uma guerra cibernética em grande escala contra a ISIS. No ano passado este grupo já tinha manifestado a sua intenção de atacar os websites dos países que oferecessem ajuda a grupos terroristas.