A Grécia foi acusada pelo Eurogrupo, na passada terça-feira, 7 de julho, na cúpula extraordinária em Bruxelas, de não apresentar propostas concretas para que lhe seja concedido um novo resgate que lhe permita permanecer na Zona Euro. A Grécia está em moratória com o Fundo Monetário Internacional (FMI) há uma semana e não tem liquidez para efectuar novos pagamentos. Alguns dos credores do país são privados mas é com o Banco Central Europeu (BCE) que a Grécia tem uma dívida maior, cerca de um bilião de euros que têm que ser pagos até ao dia 20 de julho. A cúpula extraordinária foi convocada após os gregos terem rejeitado as reformas e os ajustes que são exigidos pelos credores.

François Hollande, presidente da França, assim que chegou à cúpula extraordinária, alertou que "é nesta semana que se devem tomar decisões". Angela Merkel, chanceler alemã, disse que ainda não têm "a base para uma negociação de uma ajuda financeira" mas que não se trata de uma "questão de semanas mas sim de dias".

Os parceiros da Grécia na Zona Euro aguardavam esta terça-feira que Atenas apresentasse uma nova proposta de reformas "concretas" a fim de conseguir evitar o pior para a união monetária, que é a saída do país do Euro. Contudo, antes de se dar início à cúpula, os Ministros da Economia reuniram-se e, segundo Jeroen Djisselbloem, presidente do Eurogrupo, "não houveram novas propostas". Segundo uma fonte do governo disse à Agence France-Presse, o governo grego melhorou a proposta que tinha apresentado no passado dia 30 de junho, o dia em que expirou o segundo programa da Grécia e que venceu o prazo para o pagamento ao FMI da dívida.

Depois de vários meses em negociações complicadas com o governo grego, muitos países já não querem prestar auxílio à Grécia, que já recebeu desde 2010 dois resgates no valor de 240 biliões de euros. A impaciência reina entre os parceiros devido à falta de propostas dos gregos. "Uma 'Grexit' não é um problema para a Europa", disse Janis Reirs, ministro da Letónia. Mark Rutte, primeiro-ministro holandês, demonstrou bastante a sua impaciência e afirmou que "o tempo já se esgotou". #Política Internacional