Depois de Ancara e Istambul na Turquia, Ouagadougou no Burkina Faso, Charsadda no Paquistão, Orlando nos EUA, Jacarta na Indonésia, Bruxelas na Bélgica e Paris em França, o #Terrorismo voltou a fazer vítimas. Novamente em França, desta feita em Nice, um homem de 31 anos lançou um camião a alta velocidade contra uma multidão que assistia ao fogo de artifício na avenida marginal da cidade na sequência dos festejos do Dia da Bastilha. No entanto, a nacionalidade do suspeito ainda está por confirmar estando duas hipóteses em cima da mesa, o suspeito ser franco-tunisino ou ser de nacionalidade tunisina residente em França.

O terror foi lançado ao longo de dois quilómetros na conhecida avenida “Promenade des Anglais” com o homem a conduzir aos ziguezagues para atingir o maior número de pessoas.

Publicidade
Publicidade

Até agora estão confirmadas 84 mortes, nas quais se incluem 10 crianças e existem ainda 18 feridos em estado considerado crítico. O presidente francês François Hollande diz que estamos perante mais um atentado terrorista e alargou o estado de emergência que vigora desde 2015 no país por mais três meses. França tem sido alvo de ataques terroristas nos últimos dois anos, entre vários exemplos destacam-se o ataque feito ao jornal Charlie Hebdo no qual morreram 12 pessoas ou os atentados que ocorreram em vários pontos de Paris e que resultaram na morte de 130 pessoas.

O suspeito acabou por ser abatido pela polícia, mas antes disparou vários tiros na direção da multidão enquanto atropelava indiscriminadamente pessoas inocentes. Dentro do camião, as autoridades francesas encontraram várias armas (notícia ainda não confirmada) estando ainda em aberto a possibilidade de o indivíduo não ter agido sozinho pelo que as investigações por eventuais cúmplices já foram iniciadas.

Publicidade

A Sky News avança mesmo que um eventual cúmplice está já a ser procurado pelas autoridades.

Até a esta hora o atentado ainda não foi reivindicado, embora a maior suspeita recaia sobre o autoproclamado estado islâmico. As autoridades francesas não tinham qualquer registo que o suspeito estivesse envolvido em atividades terroristas. 

Até a esta hora o atentado ainda não foi reivindicado, embora a maior suspeita recaia sobre o autoproclamado estado islâmico. As autoridades francesas não tinham qualquer registo que o suspeito estivesse envolvido em atividades terroristas. Em 2014, surgiu um post nas redes sociais deste grupo terrorista em que referia que caso não tivessem engenhos explosivos ou armas para matarem infiéis americanos, franceses ou aliados dos mesmos que esmagassem cabeças com pedras, que os esfaqueassem, que atirassem carros contra eles, que os atirassem de um sítio, que os envenenassem ou mesmo que os asfixiassem. Consta que o grupo ainda não reivindicou o atentado, mas que já colocou mensagem de exultação e festejos pelo sucedido.

Publicidade

Já são várias as reações de repúdio por mais este atentado terrorista, quer dos principais líderes mundiais, quer de pessoas anónimas que vão manifestando a sua solidariedade perante mais uma página negra da história e da liberdade.

A Blasting News está a fazer uma cobertura mundial sobre os acontecimentos em Nice. Leia as reportagens em outros países: ItáliaFrança, Polónia, Reino Unido, Roménia, e Brasil.