Um homem de 38 anos matou a mãe a tiro de caçadeira na madrugada desta sexta feira, dia 10 de julho. Depois de cometer o #Crime, o suspeito ligou para o pai a relatar o que tinha acabado de fazer. Foi este que, posteriormente, comunicou com a Guarda Nacional Republicana (GNR) de Faro a dar o alerta do homicídio. Quando chegaram ao local, os militares detiveram o homem no exterior da habitação. O caso ocorreu em Ribeira de Alte, Paderne, no concelho de Albufeira, Algarve.

As horas a que foi cometido o crime ainda não estão completamente esclarecidas, mas o suspeito ligou pelas duas da madrugada ao pai a confessar o homicídio da mãe. De acordo com o "Jornal de Notícias" foi o progenitor quem deu o alerta para a GNR de Faro, cerca de meia hora depois. A vítima, de 68 anos, vivia com o filho, de 38, que sofre de uma doença do foro psiquiátrico. O crime terá ocorrido no interior da residência da família e o suspeito usou uma caçadeira para pôr termo à vida da progenitora. Quando chegaram ao local, os militares da GNR encontraram o suspeito fora da residência familiar e detiveram-no de imediato; o alegado homicida não ofereceu qualquer resistência.

As autoridades já conheciam esta família, uma vez que já tinha sido denunciados alguns episódios de violência. Os militares da GNR já tinham mesmo apreendido duas armas que pertenciam ao ex-companheiro da vítima e que se encontravam na residência. Ainda assim, o filho, que sofre de esquizofrenia, e a mãe continuavam a partilhar o mesmo espaço e a conviver diariamente.

Além destes episódios de violência, as autoridades já tinham referenciado o suspeito por outro caso. Em 2009, foi apanhado em flagrante pelas autoridades a disparar indiscriminadamente na via pública. Na altura, não houve registo de vítimas e o homem viu apenas ser-lhe apreendida a arma de fogo com que tinha estado a disparar.

Por se tratar de um crime de homicídio, a GNR passou o caso para a #Polícia Judiciária, que agora passa a ser responsável pela investigação. Por apurar estão ainda o motivo e os contornos do crime.