Um casal de nacionalidade romena foi detido durante a passada semana pela Polícia Judiciaria (PJ), mais concretamente pelo Departamento de Investigação Penal de Portimão, depois de uma denúncia de um #Crime de escravatura praticado durante os últimos 9 anos na cidade de Portimão, no Algarve. Este casal terá mantido em cativeiro um indivíduo de 61 anos, reformado da função pública e portador de deficiência intelectual, depois do mesmo ter contratado o elemento feminino da dupla para prestação de serviços domésticos, segundo avança a edição do Correio da Manhã desta terça-feira.

Alegadamente, o homem foi mantido preso em sua casa depois de ter feito um acordo com uma mulher, de nacionalidade romena, em que trocava a prestação de cuidados domésticos pela cedência de um quarto na habitação. Depois de acordados os termos, a mulher terá dado ao namorado o acesso total à casa onde trabalhava e em conjunto terão sequestrado a vítima, que se manteve em cativeiro durante quase uma década.

Terá sido um amigo da vítima que ajudou a alertar as autoridades locais, sendo que estas remeteram o assunto para a Polícia Judiciária. No seguimento desta denúncia, a PJ procurou o casal e efectuou a detenção durante a passada semana nos arredores de Portimão. Ao que se sabe, terá sido limitado o espaço do proprietário da habitação a um quarto, com acesso ao corredor de entrada e à casa-de-banho, não lhe tendo sido concedida qualquer outra liberdade. O duo terá também tido acesso às contas bancárias do reformado e a todas as remunerações que este recebia de pensões. O casal, ela com 28 e ele com 37 anos, foi presente a juiz e aguarda os trâmites do processo com termo de identidade e residência.

Nos últimos tempos têm sido denunciados alguns casos de escravatura em Portugal. De recordar que ainda no passado mês de junho foi libertado um cabo-verdiano que esteve 8 anos em cativeiro numa cave de um edifício em Cascais. Uma notícia que causou grande consternação entre os portugueses e que relançou a discussão sobre este tipo de crime.