O pai de Rodrigo Lapa não tem dúvidas que o seu filho foi assassinado por mais que uma pessoa. Sérgio agradece o apoio de muita gente, amiga e anónima, mas lamenta que nenhuma instituição o tenha abordado para lhe dar acompanhamento. Considera que o seu filho foi vítima de um “#Crime macabro” e diz ter confiança na Polícia Judiciária. Declarações feitas numa breve entrevista concedida à CMTV horas depois da realização do funeral do filho.

É um pai destroçado. Horas depois de ter vivido o drama de enterrar o seu único filho, encontrado morto na passada quarta-feira, 2 de Março, Sérgio Lapa falou pela primeira vez em público. Considera-se “culpado” por ter permitido que Rodrigo tivesse decidido ir viver com a mãe, Célia Barreto, de quem estava divorciado. Acredita que a opção do jovem recaiu na liberdade que a mãe lhe proporcionava. Mas, se alguma vez, suspeitasse que estava a ser maltratado, seria ele próprio a ir buscá-lo a casa da mulher, com quem esteve casado durante 18 anos e meio.

Foi o próprio Sérgio Lapa que reclamou o corpo junto do Instituto de Medicina Legal e o levantou para realizar o funeral. “Um funeral digno como prometi ao meu filho”, diz. O homem que soube da morte do filho através da televisão e que teve de telefonar para a Polícia Judiciária para que lhe confirmassem. Lamenta que nunca ninguém, de nenhuma instituição, o tenha abordado para lhe prestar apoio ou para o acompanhar naquele momento de angústia e de luto. A mãe, Célia Barreto, apenas assistiu à celebração de missa, sob protecção de militares da GNR, perante a fúria popular.

Quanto ao que aconteceu ao seu filho, Sérgio Lapa diz ter confiança nas autoridades e espera que a Polícia Judiciária resolva o caso e lhe consiga explicar. Contudo, garante que a ex-mulher “sabe mais do que fala”. O homem não acredita que o actual companheiro de Célia Barreto, que terá viajado para o Brasil e considerado como o principal suspeito do homicídio, tenha conseguido matar o seu filho sozinho. “Um rapaz de 15 anos, cheio de forçam com 1,74 metros… não foi só um a fazer-lhe aquele crime macabro”, afirma.

Para Sérgio Lapa o seu filho foi assassinado de uma forma “tão violenta” que “nem um animal faz aquilo a um filho”. Contudo, garante que não é da Polícia Judiciária, pelo que terão de ser as autoridades a apurar as causas do homicídio.