Um jovem de 20 anos foi detido na madrugada desta terça-feira, 5 de Abril, suspeito da morte de um homem de 55 anos, de nacionalidade inglesa. O caso aconteceu em Faro, no Algarve, no momento em que o rapaz conduzia o automóvel da vítima. Acabou por levar as autoridades até ao cadáver do homem, que estava na sua residência em Alcoutim, apresentando indícios de ter sido agredido com uma arma branca na zona do abdómen e no pescoço. A #Polícia Judiciária está a investigar a ocorrência.

Desconhecem-se as causas e os contornos do #Crime que vitimou um homem de nacionalidade inglesa, de 55 anos, residente em Alcoutim, no Algarve. Sabe-se que a Polícia de Segurança Pública (PSP) deteve um jovem, já referenciado por outros actos ilícitos, nomeadamente furtos e condução sem estar devidamente habilitado para o efeito, que acabou por ser indiciado como o presumível autor do crime.

O rapaz foi mandado parar pelos agentes policiais, em Faro, no momento em que conduzia um automóvel, propriedade da vítima. Acusou ainda uma taxa de alcoolemia superior a 1,25 gramas de álcool por litro de sangue. Os agentes da Polícia de Segurança Pública tentaram contactar o proprietário do automóvel, mas sem sucesso. Daí que tenham solicitado a cooperação de militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) para se deslocar à residência do cidadão inglês, numa zona isolada no concelho de Alcoutim. Contudo, também os militares da GNR não conseguiram localizar o homem. No prosseguimento das diligências teria sido o próprio jovem a conduzir as autoridades até ao local onde se encontrava o cadáver daquele cidadão inglês. O corpo apresentava ferimentos no abdómen e no pescoço provocados, alegadamente, por uma arma branca.

Segundo relata o Jornal de Notícias, a vítima residia em Portugal há cerca de 15 anos, estando a recuperar de uma situação clínica provocada pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV). Terá vivido durante uma década com um outro homem, de quem estava separado. Um ex-companheiro que na manhã desta terça-feira acompanhou as diligências policiais na casa onde os dois viveram. Entretanto, as autoridades estão a prosseguir com as investigações, não só para tentar apurar em que dia, hora e local se deu o crime, mas também para tentar compreender as causas daquele homicídio.