O Chelsea, de José Mourinho, irá deslocar-se hoje pelas 16 horas ao Emirates Satium, estádio oficial do Arsenal, o principal adversário dos pupilos do treinador português na corrida pelo título Inglês. Apesar dos dez pontos que separam estas duas equipas, o título ainda não está garantido para o Chelsea, faltando ainda seis jornadas para o final do campeonato. Além de estarmos perante um dérbi londrino, a rivalidade não se passa apenas dentro de campo, mas igualmente fora, devido à grande disputa de comentários e picardias entre os treinadores das duas equipas. Quem conhece bem o futebol inglês e estes dois históricos, sabe bem o "ódio amoroso" entre estas duas personalidades.

Prova disso são os recentes comentários na antevisão a este confronto, onde o "Special One" respondeu, e bem, à provocação proferida por Arsène Wenger. O francês considera o Chelsea uma equipa defensiva, frisando que jogar à defesa é do mais simples que há no mundo futebolístico. José Mourinho em resposta disse: "Não concordo que defender seja fácil. Se assim fosse, não perdiam 1-3 em casa com o Mónaco. Se defendessem bem empatavam 0-0 e ganhavam em Monte Carlo. Não é fácil preparar uma equipa para defender". Desinteressado dos comentários ao estilo de jogo da sua equipa, sublinhou que "o que os outros pensam ou dizem não me interessa. Somos a melhor equipa desde o primeiro dia e queremos continuar assim até ao fim. No entanto, o título está em aberto".

Falando das duas equipas em si e esquecendo o que se passa fora das quatro linhas, apesar do Arsenal jogar em casa, o Chelsea, tendo em conta o que tem feito ao longo do campeonato e não tendo falhado nos grandes jogos, é ligeiramente favorito para esta partida, apesar do estatuto de visitante. Neste momento, o Arsenal ultrapassa a melhor fase de toda a sua temporada, somando vitória atrás de vitória e dando a imagem que esta é uma equipa que quer ganhar verdadeiramente um título de campeão inglês. Após os jogos dos oitavos-de-final da Champions League, onde foram eliminados pelo Mónaco de Leonardo Jardim, os londrinos parecem ter ligado o motor, sem vista a deixá-lo ir abaixo.

Em relação ao visitantes, os "Blues" tiveram na liderança da #Premier League praticamente desde o início da prova, algo extremamente difícil perante os vastos e fortíssimos candidatos ao troféu. Por vezes praticando um futebol traiçoeiro, mas extremamente eficaz, onde a defesa é um elemento chave nesta equipa, e onde o contra-ataque conduzido por Eden Hazard tem obrigatoriamente que ser "mortífero", o Chelsea tenciona aumentar a vantagem do segundo lugar para doze pontos, registando ainda um jogo a menos e abrindo cada vez mais o caminho para a conquista.