Faltam quatro jornadas para se concluir a Liga e os principais clubes estão empenhados em chegar aos seus objectivos. #Benfica e FC Porto lutam pelo título e o #Sporting está com os olhos postos no seu jogo do ano, no Jamor. O mercado de jogadores começa a movimentar-se, no entanto, uma das questões mais relevantes para águias, dragões e leões é: Quem será o treinador?

Benfica e Jorge Jesus

Jorge Jesus está em fim de contrato e ainda não renovou. Apesar das mensagens de serenidade transmitidas por si e por Luís Filipe Vieira, é grande a preocupação em relação ao comando técnico da equipa na próxima temporada. Notícias de potenciais interessados e a perspectiva de redução salarial parecem dificultar a renovação. A esperança benfiquista na manutenção do treinador reside na sua alegada falta de "espírito de emigrante", no entanto, já afirmou que não fecha a porta a clubes de topo.

O Benfica poderá vender alguns dos seus jogadores e LFV aponta a formação como principal fonte de recrutamento. JJ tem sido criticado pela falta de aposta nos jovens, que saem do Seixal sem oportunidade na equipa principal. Este será outro dos pontos a clarificar entre os dois, dado que JJ quererá um plantel que dê garantias de sucesso. A conquista da Liga e a definição do plantel poderão ajudar a desbloquear a situação, viabilizando a continuidade do treinador que recolocou o Clube na senda do êxito desportivo e financeiro.

FC Porto e Julen Lopetegui

Julen Lopetegui tem contrato até final da época 2016/17, mas tem vindo a ser contestado pelos adeptos. A copiosa derrota frente ao Bayern e a incapacidade para vencer o Benfica roubaram-lhe apoio junto da SAD, colocando Pinto da Costa em situação desconfortável na cobertura ao basco. A forte personalidade de Lopetegui, a sua teimosia e o discurso, por vezes belicista, têm contribuído para a insatisfação dos adeptos, que têm dificuldade em lidar com a rotação de jogadores ou com clivagens com jogadores como Quaresma e, mais recentemente, Brahimi.

Estranhamente, ou talvez não, após semana de resultados negativos e do episódio com Jorge Jesus no final do Clássico, surgem notícias do interesse de clubes estrangeiros (AC Milan) e vão-se perfilando sucessores como Sérgio Conceição, Pedro Martins, André Villas-Boas ou Paulo Sousa. A verdade é que o mais provável é a continuação de Lopetegui, restando saber se a margem que teve nas decisões fundamentais do futebol portista se manterá.

Sporting e Marco Silva

Marco Silva tem mais três anos de contrato mas a sua situação está longe de ser segura. Numa espécie de inversão a Lopetegui, o técnico é fortemente acarinhado pelos adeptos mas parece carecer de apoio de Bruno de Carvalho. O presidente apresentou o contrato de quatro anos como indicador de uma nova filosofia na gestão do futebol, no entanto, tentou despedir Marco Silva, tendo recuado após contestação dos sócios.

A situação tem-se mantido em banho-maria, mas os adeptos receiam que uma derrota na Taça ou o não apuramento para a Liga dos Campeões dite o fim da relação com o jovem treinador. Isto se o próprio não decidir abandonar, já que não lida bem com a tendência de BdC de invadir o seu espaço. Parece que Marco Silva iniciará a época como treinador do Sporting mas não poderá dar a BdC argumentos para concretizar o que já tentou.

Em suma, há ainda muitas interrogações a resolver acerca do comando técnico dos "grandes" e todos terão outras dores de cabeça pela frente porque o mercado de jogadores já mexe. #F.C.Porto