A comitiva portista foi esta madrugada recebida no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, por volta das 3 da manhã, por cerca de 300 adeptos que se deslocaram ao local para dar todo o seu apoio, não só pela prestação da equipa em toda a competição europeia (só somou uma derrota que acabaria por ditar o seu afastamento), mas também porque o próximo jogo é de especial importância e os adeptos querem que a equipa sinta que os adeptos estão do seu lado. Os adeptos entoaram cânticos de apoio e de apelo para a conquista do título nacional que, claramente, apontavam já ao jogo do próximo domingo, no Estádio da Luz, frente a um Benfica que leva 3 pontos de vantagem. Pontos, esses, que poderão ser anulados com uma eventual vitória por parte da equipa orientada por Julen Lopetegui.

Recorde-se que o FC Porto teve um trajecto assinalável nesta edição do principal troféu europeu de clubes e chegou mesmo à segunda mão dos quartos-de-final sem qualquer derrota. O Bayern Munique pôs fim ao sonho portista, que até chegava à Alemanha com uma vantagem de dois golos (fruto da vitória na primeira mão por 3-1), com uma derrota pesada (6-1), que entrou para a história negra dos azuis e brancos como sendo a sua maior goleada em jogos a contar para a Liga dos Campeões (tal como aconteceu em 1978 frente ao AEK). Com este afastamento, a equipa da Invicta tem apenas um troféu por disputar, o que poderá ser uma vantagem para a reconquista do maior troféu a nível nacional.

Na conferência de imprensa a seguir ao desaire, o treinador dos dragões, quando abordado sobre se a equipa sentiu as ausências de Alex Sandro e Danilo, respondeu que "não é momento para pensar nisso". O técnico acrescentou ainda que a equipa alemã é o principal candidato para a conquista desta edição da prova milionária. Herrera, Jackson Martínez e Ricardo Quaresma também já reagiram a este afastamento, apontando que poderiam ter feito uma primeira parte melhor e que têm de se preparar para o próximo jogo do campeonato frente ao Benfica. #Futebol #F.C.Porto