Carlos Bacca foi, uma vez mais, a grande figura do Sevilha que, esta quarta-feira, venceu pela segunda vez consecutiva a #Liga Europa. Depois de no ano passado ter ultrapassado o Benfica, nas grandes penalidades, esta época a formação espanhola venceu o surpreendente Dnipro, por 3-2, com dois golos de... Carlos Bacca, aos 31 e aos 73 minutos.

O que muita gente desconhece é de onde veio este avançado, internacional colombiano, atualmente com 28 anos e cotado como um dos melhores pontas-de-lança do Mundo. Há apenas oito anos, Carlos Bacca era... picador de bilhetes numa empresa de autocarros colombiana! O #Futebol só chegou a Bacca, como profissão, há apenas cinco anos, tinha o avançado 23 anos!

Carlos é o mais novo de três irmãos e herdou a sua paixão pelo futebol do seu pai, um guarda-redes que nunca conseguiu chegar a profissional. Nessa altura, enquanto picador de bilhetes, o seu turno começava às quatro da manhã e às vezes tinha de trabalhar até às 11 da noite... A sua tarefa era cobrar bilhetes ou verificar se todos os passageiros do autocarro tinham um bilhete válido. Carlos tinha 20 anos e as suas hipóteses de ser um futebolista profissional eram praticamente nulas. O futebol, claro está, não lhe dava de comer e o trabalho era a prioridade da sua vida. Jogar futebol era um luxo para aquele jovem.

Bacca, de resto, passou 3 anos sem se treinar. Apenas disputava jogos aos domingos, mas tratavam-se de partidas organizadas por trabalhadores da empresa onde trabalhava. Só que a vida pode mudar num instante! E neste caso, mudou graças a uma discussão. Bacca manteve uma discussão violenta com o seu chefe e deixou o seu trabalho. Entretanto, um grupo de amigos do seu bairro formou uma equipa, e, como estava desempregado, Carlos aceitou jogar como avançado. Obviamente, Bacca não ganhava um cêntimo por jogar naquela equipa, mas, num dos jogos, um olheiro do Junior Barranquilla gostou do que viu e convidou-o para fazer um teste no clube.

Carlos Bacca passou o teste, mas a sua primeira temporada foi um desastre. Nunca jogou na primeira equipa e decidiu ir tentar a sua sorte na Venezuela. Emprestado ao Minervén da Venezuela, Bacca marcou alguns golos e regressou ao Junior Barranquilla, para estrear-se finalmente como jogador profissional.

Em 2009, nem os adeptos do Junior sabiam muito bem quem era Carlos Bacca, quando, em apenas 30 minutos, o ex-picador de bilhetes entrou em campo e marcou dois golos no seu primeiro jogo como profissional. Começava, realmente, a carreira de Carlos Bacca. Nos seus dois primeiros anos como profissional, venceu duas Ligas e foi por duas vezes o melhor marcador da Liga colombiana. A sua vida estava a mudar e Bacca começava a ser chamado para a selecção colombiana. Em 2012, começou a sua aventura europeia no Club Brugge e converteu-se no melhor jogador do campeonato belga. Em apenas uma época, Bacca impressionou tanto ao serviço do Brugge que convenceu o Sevilla a avançar para a sua contratação.