Esta foi uma semana de #Futebol europeu. Quer dizer, nos outros continentes também se deve ter jogado à bola, mas a qualificação para a final da Liga dos Campeões e da #Liga Europa começou a ser disputada dia 5 e acabou na quinta-feira, dia 7, pelo menos por agora. Visto que a análise da Liga dos Campeões já foi feita, concentremo-nos na Liga Europa, por muitos considerada uma competição inferior, mas com o seu quê de competitividade.

Nesta fase da prova, o Sevilha recebeu a Fiorentina e ganhou por 3-0, enquanto o Nápoles acolheu o Dnipro e empatou com o clube ucraniano por 1-1. Lances polémicos à parte, são estes os resultados. Das 4 equipas, é o Sevilha quem tem mais hipóteses de chegar à final e, analisando as estatísticas, o Dnipro vem a seguir, depois o Nápoles e, por fim, a Fiorentina. Mas como no futebol tudo pode acontecer, e como o mesmo não pode viver das estatísticas, vejamos o que pode sair daqui.

O Sevilha, para se qualificar, terá apenas que marcar um golo em território alheio, pois será difícil para a Fiorentina ganhar por 5-1 (devido aos golos fora), embora não o seja impossível. A Fiorentina teria que marcar por 4 vezes, sem deixar entrar um único golo da equipa espanhola. Não é impossível... é só muito improvável de acontecer. O mais provável é mesmo o Sevilha chegar à final.

Na Ucrânia, o Dnipro tem a vida um tanto ou quanto facilitada. Com a vantagem do golo fora, pode ir à procura de um empate a zeros. No entanto, e é o que irá acontecer, a equipa ucraniana vai à procura da vitória, não podendo desleixar-se. Um resultado de 0-1 ajuda apenas o Nápoles, 1-1 não ajuda ninguém e um 1-0 dá a qualificação para o Dnipro, pelo que os jogadores irão à procura deste golo.

Dos quatro clubes em competição, só o Nápoles e o Sevilha sabem o que é ganhar a taça da Liga Europa. Tanto o Dnipro, como a Fiorentina, nunca ganharam a competição, embora o clube italiano tenha uma Taça das Taças no seu palmarés, ganha em 1961. O Nápoles ganhou pela primeira e última vez em 1989 e o Sevilha saboreou a vitória em três finais: 2005/06, 2006/07 e 2013/14.