A Final da Taça de Portugal realiza-se já amanhã, dia 31, com o pontapé de início a ter hora marcada para as 17h15. A previsão é de casa cheia e, como normal, a procura de bilhetes tem sido agitada. Foi neste contexto que, numa acção da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, foram detidos três homens pela venda ilegal de bilhetes.

A venda ilegal de bilhetes é situação já normal em Portugal aquando de grandes eventos, pois a procura é maior do que a oferta. Sabendo as autoridades deste facto, resolveram apertar na investigação, na tentativa de detectar, identificar e punir os chamados "candongueiros". Foram então detectados três homens que vendiam bilhetes pelo preço de 150 euros, mas sabe-se que há quem pratique preços mais altos, preços aceites por alguns compradores. Será realmente um preço justo para a Final da Taça de Portugal?

Muitos adeptos, movidos pela sua paixão, acreditam que sim e que até pagariam muito mais para estarem na grande festa do Jamor e assistirem a mais um feito histórico alcançado pela sua equipa, qualquer que ela seja, #Sporting, Sporting de Braga, mas não é diferente no caso de um Leixões ou de um Chaves, como aconteceu quando asseguraram a presença no evento nestes últimos anos.


O treinador do Sporting, Marco Silva, também parece corroborar da ideia do espectáculo que a final representa, já que em lançamento da Final afirmou: "Sabemos todos que a Final da Taça é uma festa, ponto final. A forma como os jogos são encarados, tanto pela equipa teoricamente mais fraca, como pela mais forte é sempre como uma festa, é uma oportunidade grande de todas as equipas alcançarem um grande feito".

Sérgio Conceição, treinador do outro finalista, o Sporting de Braga, também não quis deixar de realçar a importância desta competição e não hesitou em dizer que: "É sem dúvida o ponto mais alto da minha carreira". Afirmou também: "Eu lembro-me da Taça de Portugal desde miúdo, pela festa que é, é um dia diferente".

Quanto ao palco, o Jamor, que imensas vezes tem sido motivo de discussão e discórdia sobre se reúne as condições necessárias para albergar um evento com esta envergadura, Marco Silva defende: "Acho que tem um simbolismo enorme, para todos, (...) não é por acaso que a maioria das pessoas diz que quer estar no Jamor". Também Sérgio Conceição aponta pela mesma bitola: "O Estádio Nacional é um estádio que nos diz muito, (...) volto a dizer, é particular, é diferente".

É já amanhã, não a partir do pontapé inicial (17h15), mas a partir da madrugada, que começa a festa da Taça no Jamor. O jogo será transmitido em canal aberto, como é também tradição, na RTP1.