Doze meses depois de ter conquistado a décima Liga dos Campeões, o #Real Madrid está a dois jogos de terminar a temporada praticamente de mãos vazias. A primeira metade da época foi positiva - o Real venceu a Supertaça e o Campeonato do Mundo de Clubes -, mas os últimos meses foram claramente desapontantes. Qual o futuro próximo da equipa madrilena?

A filosofia

A filosofia é inegociável: gastar, gastar e gastar. O Real continuará a tentar resolver as suas deficiências com mais dinheiro, apesar de ter sido eliminado da Champions por um jogador da casa, Álvaro Morata. Não importa, não haverá inversão de marcha na política de contratações, o que interessa à direção são os nomes sonantes. A equipa de reservas dos blancos, o Castilla, está em 9º lugar da segunda divisão B, e com a exceção de Martin Ødegaard, não há neste momento grande qualidade no plantel.

O treinador

Carlo Ancelotti admitiu após o jogo com a Juventus que o seu futuro está nas mãos do presidente Florentino Perez, que deverá agora rescindir com o italiano. Jürgen Klopp tem sido apontado com um dos candidatos, mas não é seguro que vá para Madrid. O ainda treinador do Dortmund dá prioridade à Premier League e não fala espanhol, algo que os responsáveis do Real não vêem com bons olhos nesta fase. Este fator poderá abrir as portas a Rafael Benítez, que não deverá ficar em Nápoles.

As saídas

Javier Hernández não ficará no plantel, mas não é o único. Fábio Coentrão participou em 38% dos jogos desde que chegou e será vendido, assim como Arbeloa. Lucas Silva e Jesé vão ser emprestados e Illarramendi poderá regressar à Real Sociedad. A situação mais sensível é a de Iker Casillas, o seu futuro é ainda desconhecido.

As entradas

Têm circulado notícias de que a FIFA poderá impedir o Real Madrid de inscrever jogadores, mas, se isso não acontecer, los blancos irão gastar muito dinheiro em contratações. David de Gea é uma prioridade, falta apenas saber o que fazer com Casillas. Os galácticos querem ainda assegurar os serviços de José Gayà, lateral esquerdo do Valencia. Mas a compra mais importante do verão será a de um médio agressivo que faça companhia a Kroos e Modric. O nome mais falado é o do italiano Marco Verratti, do PSG.

Gareth Bale

Bale fica, ponto final. O galês custou uma fortuna e ainda é novo. Gareth Bale é um excelente jogador, mas nesta segunda época foi obrigado a desempenhar demasiadas funções defensivas. Com a chegada de um médio, o Real voltará ao esquema de 4-3-3 que tanto agrada à BBC.

E Ronaldo?

Este ano foi mais utilizado como avançado centro do que extremo, mas regressará ao seu habitat natural em 2015-16, a sua última época como jogador do Real Madrid. Está a 16 golos de se tornar o melhor marcador da história do clube e vai querer alcançar essa marca, mas é tempo de pensar no futuro. Daqui a um ano, Cristiano Ronaldo irá rumar aos Estados Unidos, para cumprir o sonho de terminar a carreira sob o merecido e acolhedor sol da Califórnia. #Futebol