O Futebol Clube de Famalicão ainda festeja a subida à 2ª Liga, mas já pensa mais alto. O clube minhoto acredita poder chegar brevemente ao principal escalão do futebol português. Público não falta, quer nos jogos fora, quer nos jogos em casa. Um clube dinâmico, cujos adeptos e sócios têm sido um enorme apoio durante a campanha no Campeonato Nacional de Seniores (CNS), terceiro escalão do futebol português.

Depois do marcante início dos anos 1990, em que o Famalicão somou quatro das suas seis participações na 1ª Liga, houve um lento declínio, que culminou com a presença em campeonatos distritais, corria a época de 2008/2009. Foi o bater no fundo, depois disso a colectividade foi subindo, até alcançar a promoção histórica do CNS para a 2ª Liga no passado domingo, 10 de Maio. É o regresso aos campeonatos profissionais 19 anos depois.

Daniel Ramos, o treinador por trás do sucesso

E por trás do sucesso estão não só os jogadores, como também o treinador Daniel Ramos. O técnico, jovem mas com vasta experiência, destaca o apoio dos adeptos e a dinâmica do Famalicão que, segundo o próprio, pode estar em bom plano em "patamares superiores". Em entrevista à Rádio Renascença, Daniel Ramos mostrou também confiança na ambição da direcção do clube minhoto, acreditando que os dirigentes querem o Famalicão de volta à 1ª Liga a breve prazo.

A temporada actual ainda não terminou, mas a continuidade de Daniel Ramos estará praticamente assegurada. Será para lutar por nova promoção logo na época de regresso aos campeonatos profissionais? Só o tempo o dirá. #Campeonato Nacional de Séniores

Grande apoio dos adeptos

A campanha extraordinária do Famalicão, que assegurou a promoção a três jornadas do final da zona Norte de subida, foi seguida de perto pelos adeptos. A campanha "#diadovilanova" teve sempre boa resposta dos adeptos e dos sócios famalicenses, que encheram estádios nos jogos dentro e fora de portas. No último domingo, a vitória por 1-0 frente ao Lusitano Vildemoinhos, que valeu a subida, foi vista no Estádio Municipal 22 de Junho por cerca de 10 mil pessoas. No terceiro escalão do futebol português, viram-se casas mais compostas do que em muitos jogos da I Liga…