No dia em que Jackson Martínez partiu para umas curtas férias no seu país de origem, antes de se juntar aos seus companheiros na seleção da Colômbia para disputar a Copa América no Chile, o avançado portista volta a ser notícia de manchete na imprensa portuguesa. Se por um lado está clara a vontade de Jackson partir para novos voos na sua carreira, também é certo que Pinto da Costa, presidente portista, promete não facilitar a vida aos interessados do melhor marcador da liga portuguesa nas últimas três edições.

Jackson depois de regressar do Mundial no Brasil no verão do ano passado proferiu algumas declarações que davam a entender que poderia haver movimentações nesse mesmo mercado, algo apoiado pelo seu empresário, Luis Henrique Pompeu, que lamentava o preço tão alto que Pinto da Costa exigia pelo seu jogador mais mediático: "O FC Porto pede 40 milhões e esse valor não é real para ele. Há interessados e mais um mês de mercado, por isso vamos ver o que vai acontecer".

O que é certo é que Jackson Martínez não saiu, e acabou mesmo por renovar contrato com os azuis e brancos, até 2017, baixando a sua cláusula de 40 milhões para 35 milhões de euros, algo certamente exigido pelo jogador e pelo empresário, que não concordavam com uma cláusula tão alta, podendo assim ganhar alguma margem negocial para o mercado de 2015.

Mas em fevereiro deste ano, Jackson, em entrevista a um jornal da Colômbia, voltou a demonstrar a sua vontade de abandonar o FC Porto, declarações que não caíram muito bem no seio da equipa. "Não é que acredite, estou seguro [que é a altura de dar o salto]. Tenho claro que no próximo verão, seguramente, se dará a minha saída para um novo clube".

São muitos os interessados em Jackson, em Inglaterra, no dia de ontem, Jackson Martínez viu o seu nome na lista de potenciais reforços do Chelsea, Liverpool e Manchester United. Mas também o Valência e Atlético de Madrid pretendem contratá-lo, com os madrilenos a apostarem num possível desconto no valor da cláusula dada a inclusão de Oliver Torres no negócio.

Pinto da Costa, por seu turno, no passado domingo, veio declarar a intenção da SAD portista em renovar novamente com o seu avançado: "Vi em muitos jornais que o Jackson fez o último jogo pelo FC Porto contra o Penafiel. Curiosamente aconteceu o mesmo há um ano e ele fez mais vinte ou trinta jogos. É um jogador que queremos manter, mas que podemos não conseguir se alguém pagar os 35 milhões de euros da cláusula. O Jackson foi de férias e logo que regresse vamos tentar renovar. É exatamente como no ano passado".

Mas, apesar do carinho que sente na cidade invicta, Jackson Martínez, com 28 anos, sente que está na altura de abraçar um projeto mais ambicioso e de fazer o contrato da sua vida, pretendendo utilizar a montra da Copa América para valorizar mais o seu passe e fazer algum dos pretendentes chegar-se à frente com uma proposta concreta. Certo é que será um mercado longo em transferências, quer em termos de entradas, quer em saídas, e, como tem sido hábito nos últimos anos, Benfica e FC Porto pretendem fazer encaixes significativos com a alienação de algumas das suas estrelas. E em ano de Copa América é provável que o melhor marcador dos azuis e brancos nos últimos três anos acabe mesmo por mudar de ares, resta saber se o destino será Inglaterra ou Espanha. #Futebol #F.C.Porto #Mercado de Transferências