Na passada quarta-feira, dia 27, foram detidos sete altos cargos do órgão máximo que gere o #Futebol mundial. O esquema agora descoberto envolve lavagem de dinheiro, subornos e fraudes na atribuição das organizações dos Campeonatos do Mundo.

Citado pelo The Guardian, o ex-futebolista Diego Armando Maradona declarou à Rádio La Red, de Buenos Aires, que lamenta profundamente o facto de todos os seus alertas terem sido ignorados ao longo dos tempos. "Fui tratado como um louco. Agora o FBI disse a verdade. Não há futebol. Não há transparência. Chega de mentiras e jantares para reeleger Blatter", afirma.

Segundo o mesmo jornal, Greg Dyke, presidente da Associação de Futebol Inglesa, declarou ter pedido o afastamento do actual presidente da #FIFA. "Joseph Blatter tem que ir embora. Ou resigna ao seu cargo, ou tem que ser afastado, ou temos que encontrar uma terceira via. É dever da UEFA forçar a sua saída", sublinhou.

É um facto que a UEFA pediu, esta quarta-feira, um adiamento por seis meses das eleições para a presidência da FIFA, durante um congresso que decorre em Zurique e que reúne os dirigentes do órgão máximo do futebol europeu. De recordar que foi na cidade suíça que seis altos dirigentes foram detidos no decurso de uma investigação levada a cabo pelo Departamento de Justiça norte-americano. Curiosamente, Blatter não se encontra na lista de suspeitos, confirmou um porta-voz da organização encarregada pela investigação em curso.

Ao que foi apurado, o valor dos subornos ultrapassa os 100 milhões de euros, e terá sido levado a cabo no decorrer dos últimos 24 anos. Este dinheiro terá passado por diversas contas de bancos norte-americanos. Com todo este imbróglio, os grandes patrocinadores das provas organizadas pela FIFA, como a Coca-Cola e a VISA, mostram-se agora preocupados com a má imagem que o caso está a gerar e equacionam retirar o seu apoio a tudo o que possa estar associado ao órgão chefiado por Joseph Blatter.

Do outro lado da balança surge o presidente russo, Vladimir Putin, que já saiu em defesa da FIFA, afirmando que tudo não passa de uma manobra engendrada pelos EUA com o intuito de retirar Blatter do cargo por ele ocupado. #Crime