Depois de um dia quente e solarengo, em que as famílias aproveitaram para descontrair e saborear um Verão adiantado, o final da tarde prenunciou uma noite problemática. Dois jogos de #Futebol cujos resultados poderiam resultar em festa, ou não, foram disputados e assistidos por todos os adeptos dos clubes envolvidos e também por quem apenas estava interessado no desporto em si mesmo e no resultado que daí adviria.

FC Porto enfrentava o Belenenses e os adeptos portistas estavam confiantes no resultado, porque a equipa de Belém não lhes inspirava propriamente insegurança. O decorrer do jogo foi desanimando quem assistia, até ao resultado final, com o empate a 1-1. Este resultado não só não agradou aos adeptos portistas, como também "deu" ao seu "eterno rival", o Benfica, o título nacional da I Liga de Futebol.

Este descontentamento levou a que a equipa do FCP, à chegada ao Estádio do Dragão, no regresso a casa depois do jogo, fosse recebido por poucos adeptos, que manifestaram ainda assim o seu desagrado, com assobios e insultos. O jogo do #Benfica com o Guimarães teve um resultado idêntico, o empate a 0-0, é certo, mas o desapontamento pelo resultado sem golos foi imediatamente superado pelo facto de se ter sagrado campeão nacional.

A opinião do treinador do Benfica, Jorge Jesus, que no dia anterior ao jogo afirmava estarem os jogadores preparados para contrariarem as dificuldades e confirmarem a conquista do título, não foi tornada realidade, pois o título foi conseguido não pela vitória, mas pelo empate da equipa adversária à conquista do título, o FCP. No entanto, quando se trata de festejar um título nada disto tem um grande peso e os adeptos prepararam-se para uma festa em grande.

Os adeptos benfiquistas, felizes e eufóricos, acorreram ao Marquês de Pombal, em Lisboa, para cumprimentar a equipa. Na cidade do Porto, os benfiquistas escolheram a Casa da Música e a Rotunda da Boavista para festejar a vitória. A alegria dominava e os festejos decorriam como só estes títulos de futebol conseguem animar. A noite quente ajudava a expansiva euforia. Já sobre a meia-noite, incidentes no meio dos festejos, na Praça Marquês do Pombal, em Lisboa, provocaram uma #Violência crescente que levou à intervenção da PSP. Segundo palavras do subcomissário Hugo Abreu, tudo teve origem no meio dos adeptos que festejavam e a interferência do corpo de intervenção foi imperativa.

Entre a multidão, muitas pessoas nem compreenderam o que acontecera e foram literalmente apanhados no meio, com surpresa e indignação. Os feridos foram muitos, a festa terminou muito rapidamente e nem os apelos do capitão do SLB, Luisão, conseguiram acalmar os ânimos. Para o clube foi uma vitória com sabor amargo.