Dizer que o jogo no Dragão em que o Benfica saiu com os 3 pontos é a diferença entre os dois primeiros lugares do campeonato português, é uma análise simples e que aparenta ter lógica. Mas na verdade, a vantagem pontual do SL Benfica de 3 pontos (quando faltam 4 jornadas para o final, antes da 31ª que se joga entre 1 e 4 de Maio), deve-se aos jogos com os pequenos e não com os grandes. Se analisarmos os jogos entre os 3 grandes, #Benfica tem 3 empates e uma vitória, o Porto tem 2 empates, uma vitória e uma derrota e finalmente o Sporting tem 3 empates e uma derrota. Portanto, os Encarnados só levam um ponto de vantagem em relação aos Azuis e Brancos, além da vantagem no confronto direto.

Indo mais longe, podemos olhar também para os jogos contra as equipas que já praticamente têm assegurados os restantes lugares europeus, Sp. Braga e V. Guimarães. O Porto venceu os dois jogos com os bracarenses e conseguiram uma vitória e um empate contra o Vitória. Já o Benfica tem uma derrota e uma vitória contra o actual quarto classificado e quanto ao V. Guimarães, ganhou o primeiro jogo faltando ainda jogar fora. Podemos concluir que na melhor das hipóteses, as Águias levam 9 pontos destes quatro jogos e os Dragões levam 10 pontos garantidos.

Isto significa que no campeonato dos 5 primeiros lugares, Benfica e Porto podem fazer exatamente os mesmos pontos, em caso de vitória em casa do Guimarães, apenas ficando a vantagem do confronto direto.

Se continuarmos a descer na tabela, temos o Belenenses, que ainda recebe os Dragões mas que perdeu os restantes 3 jogos. Já o Paços de Ferreira ganhou ao atual campeão nacional perdendo os restantes 3 jogos. No oitavo e décimo lugares encontramos os dois clubes da Madeira, que conseguiram ganhar pontos ao FC Porto, mas na nona posição temos o Rio Ave que levou de vencida em Vila do Conde o Benfica.

Assumindo que os jogos que faltam disputar são ganhos pelas equipas favoritas, os encarnados voltam a perder 1 ponto em relação ao seu adversário direto. Ou seja, nos dez primeiros lugares, os azuis e brancos lideravam com um ponto de vantagem, apesar do confronto direto lhes ser desfavorável.

O outro lado da moeda é que contra as equipas teoricamente mais fracas, o FC Porto não esteve bem, perdendo vários pontos determinantes. Constatamos assim que a diferença dos 3 pontos está nos jogos contra os pequenos e não nos jogos que se anteviam mais difíceis.

Obviamente que há fatores que influenciaram estes resultados tais como lesões, castigos e jogos nas competições europeias, mas não deixa de ser interessante olhar para estes dados. Mais do que estas condicionantes, nota-se uma grande experiência de Jorge Jesus e pelo contrário a falta dela em Julen Lopetegui, como treinador de uma equipa que luta por títulos, mas uma falta de conhecimento do campeonato português.  #Futebol #F.C.Porto