Mais de três meses depois, o Académico de Viseu voltou a pontuar fora do Fontelo e logo com um triunfo no reduto do Desportivo das Aves por 2-3. Num jogo de emoções fortes, os homens da casa começaram a vencer, mas os viseenses deram a volta ao texto e, apesar do "apertão" nos últimos minutos, sorriram por último. Com ambas as equipas respirar tranquilidade, viu-se no relvado bom #Futebol com os olhos nas balizas adversárias, proporcionando um espectáculo aos adeptos que estiveram nas bancadas. A duas rondas do fim do campeonato, o resultado nada altera o cenário dos dois clubes.

Com um calor sufocante nas Aves, Emanuel Simões, de um lado, e Ricardo Chéu, do outro, mexeram nos onzes que tinham vencido a meio da semana Tondela e Olhanense, respectivamente. Se do lado dos avenses, Jorge Ribeiro fez falta do lado esquerdo da defensiva, nos beirões Tiago Costa, Gabi e Fábio Martins foram as novidades no escalonamento inicial. Com maior posse de bola e pressão na zona defensiva adversária, os academistas entraram melhor em campo, mas, sem criarem qualquer oportunidade de golo, acabaram por ver o árbitro André Narciso assinalar mão na bola de Clayton Leite dentro da grande área. Da marca dos 11 metros, Mauro Caballero atirou colocado para o 1-0. Em vantagem no marcador desde cedo, a equipa do Desportivo das Aves soltou-se e só não aumentou a contenda aos 20' porque Ruca, com duas grandes defesas, evitou aquele que seria o 2-0 a remate de Rafinha. Como quem não marca sofre, nova grande penalidade, desta feita para o Académico, com o árbitro a assinalar falta de Ginho dentro da área sobre Tiago Almeida. Luisinho, com paradinha pelo meio, deixou tudo empatado aos 24 minutos, num resultado que se manteve até ao intervalo porque novamente Ruca evitou, com outra enorme intervenção, o segundo golo avense, antes ainda de André Narciso não ter visto uma mão dentro da área do Desportivo das Aves.

Ao intervalo, Ricardo Chéu deixou Tiago Costa no balneário fazendo entrar João Amorim para dar maior profundidade ao lado direito academista. Foi precisamente desse lado que Luisinho tirou aos 51 minutos um cruzamento com conta, peso e medida para a cabeça de Fábio Martins, que de cabeça fez o 1-2. Num golo à ponta-de-lança, o canarinho confirmava a cambalhota no marcador, assinando o primeiro tiro certeiro com as cores do Académico. Em vantagem no placar, os viseenses souberam aproveitar da melhor forma o balanceamento ofensivo do Aves e, na sequência de um canto curto, Tiago Almeida recebeu na esquerda e com um remate rasteiro surpreendeu Quim, com a bola a entrar entre o poste e o experiente guardião, estavam decorridos 62 minutos.

Com cerca de meia hora para se jogar com 1-3 no marcador, Emanuel Simões fez uma dupla alteração, colocando em campo Tito e Chula, e foi o extremo que "abanou" com a defesa academista, fazendo a cabeça em água de Ricardo Ferreira que foi impotente para travar a velocidade, criatividade e repentismo do camisola 24 avense que conseguiu aos 79' reduzir para 2-3 num lance em que Ruca ainda defendeu o primeiro remate, sendo depois traído num ressalto de bola. Com as bancadas a exaltarem-se com novo tento avense, os derradeiros minutos foram de pressão dos homens da casa, que usaram e abusaram das bolas bombeadas, acabando por não voltar a incomodar o keeper viseense.

Com este triunfo justo, o Académico volta a vencer fora do Fontelo mais de 3 meses depois do último triunfo, onde somou 8 derrotas seguidas, mantendo o 14º posto agora com 58 pontos. #Segunda Liga